Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Anticoncepcional pode afetar a performance das mulheres na academia

Hormônios sintéticos impedem a devida formação da massa magra, diz especialista


postado em 27/03/2019 09:09 / atualizado em 27/03/2019 09:15

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Muitas mulheres praticam exercícios físicos regularmente e ainda assim queixam da dificuldade de conseguir um corpo definido. O problema, segundo a ginecologista Talitha Melo, da Clínica Penchel, de Belo Horizonte (MG), pode estar relacionado à pílula anticoncepcional.

O uso desse contraceptivo nem sempre gera efeitos negativos, além de impedir uma gravidez indesejada e ajudar a prevenir outros males. "O contraceptivo oral deve ser receitado por um profissional ginecologista, após consulta com o paciente e análise de exames. Apesar de ser mais conhecido como método para evitar a gravidez, as pílulas podem auxiliar na redução de acnes, cistos nos ovários, sintomas da tensão pré-menstrual [TPM] e inchaço, além de melhorar o aspecto da pele e dos cabelos", comenta a médica. No entanto, os anticoncepcionais, incluindo a injeção, o adesivo, o anel vaginal e o DIU de levonorgestrel, por possuírem hormônios sintéticos na composição podem atrapalhar o desempenho de quem pratica atividade física.

Segundo Talitha Melo, para que se reduza o percentual de gordura e adquira o corpo torneado, é preciso aumentar a massa magra. Neste caso, o contraceptivo hormonal prejudica justamente o ganho desse tipo de massa. "O anticoncepcional é composto, basicamente, por dois hormônios fabricados em laboratório, mas que são semelhantes aos produzidos pelo organismo feminino. São eles o estradiol e a progesterona. A pílula funciona da seguinte maneira: ao ingerir seus compostos sintéticos, nosso corpo entende que já produziu a quantidade suficiente do hormônio natural e interrompe a produção. Ao enganar o corpo, o organismo ficará com uma quantidade constante das substâncias e a hipófise não mandará a quantidade suficiente para a ovulação. Entretanto, por serem sintéticos, os compostos não são absorvidos e é exatamente aí que está o problema para quem busca ganhar massa magra", explica a especialista.

Ao deixar de produzir os hormônios naturais, nosso corpo perde os benefícios que eles iriam oferecer, pois, as substâncias sintéticas não são processadas pelo organismo. Isso faz com que os níveis dos hormônios anabolizantes diminuam, o que prejudica o crescimento da massa muscular. Além disso, quando a mulher ingere um contraceptivo oral, o corpo reconhece a presença dos compostos no organismo e libera em excesso um tipo de proteína que realiza o transporte e a regulação do nível hormonal, conhecida como globulina. Mas, como o anticoncepcional é um composto artificial, esses hormônios não se conectam às globulinas, afetando o transporte de praticamente todos os hormônios do corpo, incluindo a testosterona, que auxilina no ganho de massa magra.

A ginecologista afirma que essa reação é ruim para quem tem como objetivo a hipertrofia muscular, pois, a testosterona aumenta a absorção de aminoácidos e estimula a síntese de proteínas no músculo. Portanto, a formação da massa muscular será prejudicada sem a testosterona livre no organismo.  O cortisol, popularmente conhecido como o hormônio do estresse, também é afetado com o uso dos anticoncepcionais. "Com o uso de contraceptivos hormonais, o cortisol pode se apresentar elevado. Este aumento pode levar ao ganho de peso", diz a médica.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade