Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Dicas para a mulher aproveitar melhor o sexo após a menopausa

Alterações hormonais na terceira idade não são empecilhos para se ter vida sexual ativa


postado em 24/05/2019 15:51 / atualizado em 24/05/2019 15:55

Pesquisa Brasil 60 mostra que, para 51,1% dos entrevistados. a idade é apenas um detalhe(foto: shutterstock)
Pesquisa Brasil 60 mostra que, para 51,1% dos entrevistados. a idade é apenas um detalhe (foto: shutterstock)
Ter uma terceira idade feliz depende de vários fatores, mas principalmente da forma como cada um se percebe nessa nova fase, e estar preparado para se adaptar às mudanças é fundamental para ter qualidade de vida a qualquer tempo. Todo dia é dia de reavaliar as possibilidades, redefinir metas e alterar estratégias de enfrentamento das adversidades. No quesito sexual, os desafios não são menores, mas também, não são impossíveis de serem vencidos.

Pesquisa Brasil 60+ mostra que, para 51,1% dos entrevistados. a idade é apenas um detalhe. E viver na terceira idade é como viver em qualquer outra época. Para 30,8% é o momento em que se sentem mais livres de preconceitos e mais certos de suas próprias vontades. Sexualidade não é um tabu entre esse público que é quase unânime em dizer que, depois dos 60, o que importa é a qualidade do sexo e não a quantidade. Após a menopausa, as alterações hormonais são reais e afetam diretamente a libido. O principal sintoma é o ressecamento vaginal. Segundo a ginecologista Juliana Pierobon, da Altacasa Clínica Médica, estrógeno a menos pode levar as paredes da vagina a perderem elasticidade. "Sua diminuição e da testosterona influenciam na cognição, sensibilidade e textura da pele e mucosas, bem como na motivação sexual. A fisiologia se modifica, mas a resposta sexual ainda existe. Ela fica apenas mais lenta", explica.

A vagina, a vulva e o trato urinário inferior tendem à atrofia. Por isso, buscar orientações de um médico ginecologista pode ajudar muito. A médica ressalta, no entanto, que a vida sexual pós-menopausa também tem muito a ver com a parte emocional e não apenas com os hormônios. "As mulheres devem derrubar o tabu de que a partir da menopausa terá uma vida sexual ruim. Muitas ignoram que é possível minimizar os sintomas e assegurar um sexo prazeroso”. Para a especialista, uma mulher saudável, motivada, em um bom relacionamento a dois, tem mais disposição para o sexo. Já quem viveu relacionamentos não tão gratificantes, acumulou mágoas ou adquiriu doenças ao longo da vida pode ter o desejo comprometido. O mesmo pode ocorrer com quem passa por situações estressantes, como a saída dos filhos de casa e a aposentadoria.

A ginecologista alerta que as mulheres devem se esforçar para manter uma atitude positiva diante da velhice, aproveitando as vantagens da prática do sexo na terceira idade, com mais tempo para curtir o parceiro e sem as ilusões da juventude. No entanto, não podem jamais esquecer do uso da camisinha. "O preservativo proporciona segurança durante o sexo para pessoas de qualquer idade e não deve ser deixado de lado apenas pelo fato de essas mulheres não mais engravidarem. A falta de discussão sobre sexualidade e uso de preservativo levaram ao aumento no contágio e o número de doenças sexualmente transmissíveis em idosos dobrou na última década", diz. Para ela, com orientação adequada e medicamentos, a vida de muitas mulheres após os 60 pode aflorar da noite para o dia, aumentando sua autoestima e bem-estar.

Dicas para as mulheres terem uma boa vida sexual na Terceira Idade


- Uso de lubrificante na hora do sexo facilita a penetração e a torna mais prazerosa;
- Uso frequente de creme intravaginal a base de estriol combate o ressecamento interno da vagina e melhora a elasticidade da mucosa;
- Tratamentos com laser vaginal melhoram a atrofia genito-urinária a longo prazo;
- Terapias e exercícios físicos melhoram tanto no quesito emocional, quanto físico;
- Beber bastante água pode ajudar na produção de fluidos necessários a uma boa relação sexual;
- A aceitação do próprio corpo é fundamental para se sentir segura junto ao parceiro

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade