Fêmea de ave australiana usa divórcio para 'melhorar de vida'

Apesar de parecer coisa dos humanos, o divórcio virou ferramenta de sobrevivência para a espécie Malurus coronatus

por João Paulo Martins 26/07/2016 11:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Michelle Hall/Australian Wildlife Conservancy/Reprodução
Apesar de ser monogâmica, a fêmea da ave australiana fairywren da coroa roxa é capaz de se "divorciar" quando a reprodução e a sobrevivência estão em risco (foto: Michelle Hall/Australian Wildlife Conservancy/Reprodução)
Muitos animais monogâmicos costumam passar o resto da vida com seus parceiros. Cisnes, lobos, macacos da espécie gibão, pinguins e peixes-frade são exemplos de espécies que escolhem um companheiro para toda a eternidade. Porém, um estudo feito na Austrália descobriu que a fêmea da ave fairywren da coroa roxa (Malurus coronatus) prefere se "divorciar" do parceiro para ter um ambiente melhor e, assim, ter maior capacidade de perpetuação da espécie.

Publicado no periódico científico Behavioral Ecology em maio deste ano, a pesquisa da Universidade Monash, da Austrália, analisou 317 pares de fairywren da coroa roxa, que são consideradas aves extremamente territoriais. De acordo com o estudo, liderado pela bióloga Anne Peters, professora associada da Faculdade de Ciências Biológicas da universidade australiana, um em cada cinco pares dessa espécie, típica do maior país da Oceania, acabou se "divorciando" após nove anos de relacionamento. A pesquisadora ficou surpresa ao descobrir que as fêmeas é que tomavam a decisam da separação.

"As fêmeas demonstram planejamento e são mais propensas a terminar a relação quando percebem a oportunidade de melhorarem de vida. Encontramos fêmeas que estavam preparadas para aguardar, às vezes por três anos, pelo momento certo de mudar de vida, quando o parceiro havia morrido ou se afastado", revela Anne Peters, em matéria publicada no site da Universidade Monash.

A espécie fairywren da coroa roxa é endêmica da Austrália e está em risco de extinção. Existem menos de 10 mil indivíduos em Kimberley, que fica na região oeste do país. Ao contrário de outras aves que se afastam dos parceiros após a reprodução e a criação dos filhotes, a fairywren permanece na monogamia por muitos anos.

"As fêmeas ficam no mesmo lugar, tristes com seus parceiros ou com o território. Ela costumam ter um 'caso extraconjugal' e se mostram aptas para o divórcio. Com a separação, elas podem conseguir um parceiro e um território diferentes. Na verdade, um novo ambiente parece ser mais importante do que um novo 'marido'", conta a bióloga australiana.

O estudo revela ainda que o "divórcio" para a espécie Malurus coronatus acabou se tornando uma "ferramenta" de sobrevivência, já que permite à fêmea escolher um parceiro mais apto, que seja capaz de encontrar um ambiente melhor, especialmente para a construção do ninho. Este fato é importante para os fairywren da coroa roxa, já que devido ao ambiente insalubre em que vivem, 80% de seus ninhos acabam sendo ineficazes, não servindo para a criação dos filhotes.

Últimas notícias

Comentários