Promotor espanhol pede prisão de Neymar por corrupção no contrato com o Barcelona

O Ministério Público da Espanha acusa o craque brasileiro e o clube espanhol de fraude fiscal

por João Paulo Martins 23/11/2016 11:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação
Segundo a DIS, empresa que detinha 40% dos direitos do atacante Neymar, o craque do Barcelona teria falsificado o valor de sua negociação com o clube espanhol (foto: Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação)
Nesta quarta, dia 23 de novembro, o jornal espanhol El País publicou a notícia de que o promotor José Perals, do Ministério Público (MP) da Espanha, pediu uma pena de dois anos de prisão para o jogador brasileiro Neymar Jr, do Barcelona. O atacante é acusado de sonegação fiscal referente à sua contração pelo clube espanhol entre 2011 e 2013. Como mostra o periódico, a decisão do promotor faz parte de um processor judicial maior, que foi aberto na Espanha a pedido da empresa brasileira DIS, que era detentora de 40% dos direitos do jogador.

A DIS reivindica uma porcentagem maior na negociação do atacante. A empresa diz que o verdadeiro valor da negociação de Neymar teria sido ocultado nos documentos oficiais. "O Barcelona e o jogador burlaram as normas da Fifa e alteraram a livre competência no mercado de transferências. Devemos nos perguntar que tipo de exemplo um esportista é capaz de assinar contratos simulados, traindo que investiu nele. São esses tipos de valores do Barcelona?", diz Roberto Moreno, diretor da DIS, em coletiva de imprensa realizada na Espanha na quarta (23).

O promotor José Perals também pediu a condenação de cinco anos para Sandro Rosell, ex-presidente do Barcelona, que é acusado de co-participação na fraude fiscal. O promotor exigiu ainda que o clube espanhol pague uma multa de 8,4 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões).

Vale lembrar que o caso de corrupção no Barça havia sido arquivado pelo juiz José de la Mata. Agora, além de ter reaberto o processo, o MP da Espanha pede o fim da acusação contra o atual presidente do clube espanhol, Josep Maria Bartomeu.

Não só na Espanha o principal atacante da Seleção Brasileira está sendo investigado. No início deste ano, o Ministério Público Federal e a Receita Federal denunciaram Neymar, seu pai e o próprio Barcelona por sonegação fiscal e falsificação de documentos, envolvendo na venda do jogador, que estava no Santos, para o time espanhol dos craques Messi e Suárez.

Últimas notícias

Comentários