Publicidade

Estado de Minas MISTéRIO

Vídeo de suposto fantasma no IML de Cuiabá causa polêmica na internet

A gravação está fazendo sucesso no Twitter, virando um dos assuntos mais comentados do mundo nesta rede social


postado em 14/03/2017 09:04 / atualizado em 14/03/2017 13:26

Nesta terça, dia 14 de março, um vídeo que está sendo associado ao Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá, capital do Mato Grosso, está chamando a atenção na internet, especialmente nas redes sociais. A gravação mostra um suposto fenômeno poltergeist nas instalações do instituto. Além das luzes piscando, um guarda noturno percebe um barulho estranho de batida e descobre que a porta da caixa da mangueira contra incêndio estava batendo sozinha – curiosamente ela para de se mover quando o funcionário se aproxima.

As imagens também estão circulando no aplicativo WhatsApp, mas é no Twitter que elas estão fazendo sucesso. Tanto é que na manhã desta terça (14), o IML de Cuiabá estava figurando entre os 10 assuntos mais comentados em todo o mundo na rede social de 140 caracteres.

"Estou só ouvindo Aline Barros [cantora gospel] depois de ver o vídeo do IML de Cuiabá", diz a usuária Fifthzara, no Twitter. "Ainda bem que sou formada em 12 temporadas de Supernatural [série de TV]. Sou medrosa, mas resolveria rapidinho o caso do IML de Cuiabá", brinca Mariaasilva_1. "Nem f**endo que vou assistir esse vídeo do IML de Cuiabá. Nem sabia que existia esse estado. É estado né?", comenta o internauta DiogoAzis. "Bicho, que c*g*ço esse vídeo do IML de Cuiabá", diz Krisyeon. "Vídeo do IML de Cuiabá só não é pior que aquele Inter [Internacional, de Porto Alegre] do Celso Roth empatando com o Santa Cruz em casa", ironiza JonasAlmeida91.

Apesar do sucesso obtido pela gravação do suposto poltergeist mato-grossense, na verdade, ela não foi feita nesse estado. Segundo apuração do jornal O Estado de São Paulo, a suposta atividade paranormal foi filmada no Centro de Atendimento Integral à Criança e ao Adolescente (Caic), da cidade de Araucária, no estado do Paraná. A assessoria de imprensa da instituição confirmou que as imagens são do Caic e que vai apurar quem são os responsáveis pela filmagem não autorizada.

Se tiver coragem, assista, abaixo, ao polêmico vídeo:

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade