Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Cuidado ao usar antigripais por conta própria

Medicamentos para gripes e resfriados podem afetar também o coração


postado em 21/07/2017 08:55

Como se sabe, no Inverno, aumenta consideravelmente o número de casos de gripe e resfriado. A falta de chuvas faz com que a qualidade do ar se torna cada vez pior. Como consequência, há um crescimento do consumo de medicamentos antigripais. Mas, se por um lado, estes remédios aliviam os sintomas dessas doenças, por outro, eles devem ser utilizados com cautela por representarem certos riscos. "Alguns destes medicamentos contêm substâncias vasoconstritoras, como a pseudoefedrina. Por isso, podem contribuir ou agravar quadros de hipertensão, por exemplo", explica o pneumologista Pedro Genta, do Hospital do Coração, de São Paulo.

O médico aconselha que pessoas saudáveis e, principalmente, hipertensos e cardiopatas, procurem orientação médica antes de fazer uso de antigripais. "Medicamentos com vasoconstritores podem elevar a pressão arterial e também descompensar doenças como as insuficiências cardíaca e coronariana. Por isso, é fundamental procurar orientação médica para saber quais limites respeitar, conforme a idade, hábitos cotidianos e condições específicas de saúde. A automedicação sempre representa riscos à saúde", afirma o penumologista.

Pedro Genta explica que exageros acontecem porque as pessoas – portadoras ou não de problemas cardiovasculares – já estão acostumadas a tomar diferentes tipos de remédio para cada um dos sintomas que venham a apresentar nesta época do ano. Outro grupo de medicamentos bastante consumidos no Inverno, com efeitos colaterais potencialmente sérios, são os anti-inflamatórios. Eles também podem aumentar a pressão arterial, provocar alteração do funcionamento renal, além de poderem causar problemas gástricos como úlcera péptica. "Indivíduos portadores de doenças cardiovasculares devem ter orientação para o uso de qualquer medicação pelo potencial de agravar as suas condições de saúde ou de haver interação com as medicações que já toma", alerta o médico.

Para controlar a situação, no Inverno, segundo o pneumologista, além de consultar um especialista, em caso de doenças, é necessário prevenir os problemas respiratórios. Neste caso, é preciso, por exemplo, vacinar contra a gripe, higienizar frequentemente as mãos e manter hábitos de vida saudáveis – não se deve "perder a mão" por causa do frio.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade