Será que o crossfit pode causar mais lesões que outros esportes?

Especialista fala sobre essa atividade física que virou 'moda' nos últimos anos

por Vinícius Andrade 16/10/2017 17:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pexels
O especialista lembra que o crossfit, assim como qualquer outra atividade física de alto desempenho, se praticado de forma errada, pode, sim, gerar lesões (foto: Pexels)
Modalidade conhecida por trabalhar diversas capacidades físicas, o crossfit se popularizou recentemente pela promessa de um retorno rápido e eficaz. Especialistas, no entanto, têm alertado para o risco de lesões envolvendo essa atividade física. Pesquisa publicada este ano na revista científica Journal of Strength and Conditioning Research acompanhou 132 praticantes de crossfit e verificou que 73% deles sofreram lesões, sendo que 7% precisaram fazer algum tipo de cirurgia.

O educador físico José Carlos Farah, professor da USP, lembra que o crossfit não é uma atividade recente. Segundo ele, o treinamento físico em circuito de exercícios existe desde a década de 1950. A ideia foi introduzida justamente para evitar o risco de lesões. "Se o nadador apenas nadar, talvez ele possa ter uma lesão por esforço repetitivo. O cruzamento das atividades serve para a pessoa adquirir a condição física de uma forma mais geral", comenta o especialista em entrevista para a Rádio USP.

Então, qual a diferença para o crossfit que virou "febre" entre atletas profissionais e amadores? Nenhuma, segundo o educador físico. O problema, de acordo com o professor, é que os alunos buscam uma intensidade superior à que estão preparados para suportar. "O educador físico precisa dosar o treinamento. Temos que tirar o estigma de que determinada atividade prejudica mais que a outra. Todas são benéficas. Tudo depende de como eu faço e como eu aprendo", afirma José Farah.

Em relação às pesquisas que mostram o alto índice de lesões provocadas pelo crossfit, o especialista diz que ainda são poucos os trabalhos que comparam as contusões dessa prática com as de outros esportes. Segundo ele, toda atividade que demanda muito esforço pode gerar algum tipo de lesão, que será específica de cada modalidade praticada.

"Se minha atividade for a corrida, a sobrecarga no joelho será maior, então, eu posso machucar o joelho, a canela e até o tornozelo, mas, dificilmente eu machucaria o ombro. Se eu nadar crawl a vida inteira, eu posso ter lesão no ombro, mas dificilmente eu vou ter uma lesão no joelho. O crossfit é o cruzamento das atividades, então, a possibilidade de lesão em várias partes do corpo vai ser maior", explica o educador físico.

Farah destaca ainda que vivemos na era do imediatismo e, como as pessoas ficam muito tempo sem fazer atividade física, quando voltam para a academia acabam desejando uma "receita milagrosa" para entrar em forma. "Existem professores que caem nessa e levam o aluno a fazer isso. A importância da atividade física se dá ao longo da vida, não apenas no período de um mês", ressalta o professor da USP.

(com Rádio USP)

Últimas notícias

Comentários