Anvisa alerta para o perigo do uso indiscriminado de antibióticos

Segundo a agência, as pessoas estão usando os remédios de forma errada e gerando cada vez mais bactérias resistentes

por Encontro Digital 10/11/2017 14:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Um dos grandes problemas da atualidade é o fortalecimento das bactérias, devido ao uso errado de antibióticos. Pode até parecer exagero, mas o surgimento das chamadas superbactérias é, na verdade, uma realidade que desafia os sistemas de saúde em todo o mundo. A resistência dos micro-organismos surge em especial pelo mau uso dos medicamentos.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a explicação para o surgimento de bactérias mais resistentes está na teoria da seleção natural das espécies elaborada pelo naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882). "Quando são expostas aos antibióticos, um grupo pequeno de bactérias mais fortes pode sobreviver e, posteriormente, se reproduzir. Isso significa que, a cada geração, as bactérias mais resistentes dão origem a outras que também são resistentes", informa a Anvisa.

Quando o micro-organismo é resistente a mais de um tipo de medicamento, ele é chamado de multirresistente aos antimicrobianos. "Essa resistência pode surgir por uma mutação que dá ao micro-organismo condições de resistir ao medicamento. Também pode acontecer pela troca de material genético entre o micróbio comum com outros resistentes", esclarece a agência.

O problema é mais frequente com antibióticos, mas também afeta antivirais, antifúngicos e antiparasitários.

Por isso, o uso de antibióticos adequados para o tipo de infecção, no tempo correto e na dosagem recomendada é fundamental para evitar a sobrevivência de bactérias mais resistentes.

Além disso, outros fatores também contribuem para o surgimento de superbactérias. Conheça os principais, segundo a Anvisa:

  • Tratamento maior ou menor que o recomendado pelo médico

  • Uso de antibiótico para tratar doenças que não são infecções bacterianas, por exemplo, a gripe

  • Uso de antibiótico não indicado para o tipo de bactéria que está causando a infecção

  • Uso inadequado de antibióticos na área veterinária, especialmente em animais utilizados para o consumo humano

  • Falta de um bom controle de infecções nos serviços de saúde

Falta de antibiótico?

O principal problema da resistência das bactérias, de acordo com a agência, é a redução das opções de antibióticos para tratar infecções causadas pelos micro-organismos cada vez mais fortes. "Quando uma pessoa adoece por causa de uma bactéria resistente, o tratamento se torna mais difícil. Se esta pessoa estiver infectada por uma bactéria multirresistente, ou seja, que resiste a diferentes antibióticos, é possível que não se encontre um tratamento adequado", alerta a Anvisa.

(com portal da Anvisa)

Últimas notícias

Comentários