Estudo associa o uso regular de maconha à maior prática de sexo

A pesquisa americana descobriu que aqueles que fumavam maconha diariamente estavam mais propensos a ter relações sexuais

por Correio Braziliense 22/11/2017 13:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pexels
De acordo com um estudo do Centro Médico da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, usuários regulares de maconha fariam mais sexo do que as demais pessoas (foto: Pexels)
Quem fuma maconha regularmente pode ter a vida sexual mais ativa do que aqueles que não ingerem ou usam a droga com pouca frequência. Isso é o que mostra um estudo feito por pesquisadores da Centro Médico da Universidade de Stanford, na Califórnia, Estados Unidos, e publicado no periódico científico Journal of Sexual Medicine.

Para chegar a esse resultado, os cientistas americanos reuniram dados de cerca de 50 mil pessoas que participaram de uma pesquisa anual do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2002 e 2015. "Nós relatamos com que frequência eles fumam [mensalmente, semanalmente ou diariamente] e quantas vezes eles fizeram sexo no último mês", comenta o urologista Michael Eisenberg, principal autor do estudo.

Segundo o pesquisador, em comparação com os usuários que nunca fumaram maconha, as pessoas fazem uso diário da droga chegaram a praticar 20% mais sexo. "Então, ao longo de um ano, eles estão transando talvez 20 vezes a mais", diz Eisenberg.

As mulheres que consumiram a Cannabis sativa diariamente fizeram, em média, sexo 7,1 vezes por mês. Para os homens, 6,9 vezes. As mulheres que não usaram maconha transaram seis vezes por mês, enquanto os homens que não usaram maconha transaram 5,6 vezes por mês.

Desejo sexual

Quando os pesquisadores consideraram outros fatores, como o uso de álcool ou cocaína, idade, religião ou ter filhos, a associação entre a intensidade do consumo de maconha e a vida sexual mais ativa se manteve. "Praticamente em todo o grupo que estudamos esse padrão persistiu", afirma o cientista americano.

Para o psicólogo Mitch Earleywine, da Universidade de Albany, nos EUA, essa associação não significa necessariamente que a maconha seja responsável pelo aumento do desejo sexual. "Em algumas pesquisas, vimos que as pessoas que usavam cannabis faziam mais sexo, mas pareciam ser mediadas por um tipo de personalidade que está disposta a tentar coisas novas ou a procurar emoções", comenta o especialista.

Outro estudo publicado em 2012 descobriu que as mulheres ficavam mais excitadas ao assistir filmes eróticos quando haviam fumado maconha. A justificativa científica para o fato seria de que a droga parecia aumentar as experiências sensoriais em geral. "Isso faz com que as pessoas apreciem ainda mais o momento. Eles gostam de comer mais, acham humor nas coisas com mais facilidade, então não seria impressionante pensar que gostariam mais do sexo", diz Mitch Earleywine.

Últimas notícias

Comentários