Publicidade

Estado de Minas CIDADE

Você sabia que existe um local em Belo Horizonte que tem mais de 1.500 m de altitude?

Reconhecida por seus altos e baixos, a capital mineira possui altitudes que variam de 673 m a mais de 1.500 m


postado em 21/11/2017 09:14 / atualizado em 21/11/2017 09:34

Que Belo Horizonte é uma cidade cheia de morros, isso ninguém duvida. Entre as capitais do Brasil, BH é uma das que possuem maior altitude, chegando a 852 m acima do nível do mar, em média. Mas, você sabe qual é o ponto mais alto e o mais baixo da cidade?

De acordo com um levantamento realizado pelo setor de Geoprocessamento da Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte (Prodabel), a variação de altitude dentro do município supera a casa dos 800 m. A Serra do Curral, um dos cartões postais de BH, é o local mais alto. Um dos picos, localizado no parque estadual do Rola Moça, possui nada menos que 1.506 m de altitude. Já o ponto mais baixo está praticamente do outro lado da cidade, no bairro Capitão Eduardo, no encontro do Ribeirão do Onça com o Rio das Velhas, na região nordeste, e fica a 673 m acima do nível do mar.

Em relação aos bairros, alguns dados captados pela Prodabel chamam a atenção. O levantamento indica que a região centro-sul é a mais alta da capital mineira. O bairro Mangabeiras está a quase 1.400 m de altitude, o Belvedere a 1.284 m. O Baleia, na região leste, onde fica o pico Belo Horizonte e que antes era apontado como local mais alto, está a 1.390 m acima do nível do mar.

De acordo com o estudo, nas outras regionais da cidade a altitude não chega a mil metros. Alguns bairros ficam próximo disso. O Serra Verde, no Vetor Norte, está a 943 m; o Califórnia, na região noroeste, está a 988 m; o Concórdia, na zona leste, a 928 m do nível do mar.

Confira, abaixo, o mapa da altimetria de BH:



Trabalho importante

Segundo a Prodabel, além de despertar a curiosidade das pessoas, as informações sobre a altimetria da cidade são de extrema importância, já que servem como referência para a execução de diversas atividades. Com elas, é possível, por exemplo, identificar áreas passíveis de inundação; planejar a instalação de antenas e radares meteorológicos; realizar estudos climáticos; desenvolver o planejamento urbano de forma mais ampla, entre outras ações.

(com portal da PBH)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade