Publicidade

Estado de Minas VEíCULO

Até que ponto as modificações nos veículos são consideradas seguras?

O chamado tuning, além de trazer riscos, pode gerar multas segundo o Código de Trânsito Brasileiro


postado em 18/12/2017 08:20 / atualizado em 15/12/2017 10:26

A moda de
A moda de "tunar" os carros ganhou força no Brasil depois da exibição do filme Velozes e Furiosos, em 2001. Mas, até que ponto as modificações podem trazer riscos? (foto: Universal Pictures/Divulgação)
Não é raro observamos nas ruas veículos que tiveram as características originais de fábrica modificadas indiscriminadamente. A prática, muito popular entre motoristas mais jovens, é chamada de tuning – nomenclatura da língua inglesa que, na tradução literal, quer dizer "ajuste".

As modificações feitas em veículos de passeio se popularizaram no Brasil após a exibição do filme Velozes e Furiosos, em 2001, estrelado pelos atores Vin Diesel e Paul Walker. Além dele, o jogo eletrônico Need For Speed Underground, lançado em 2003, também abordou o tema e, assim, ajudou a impulsionar o mercado de tuning no país.

Essas mudanças nos automóveis vão desde o rebaixamento da suspensão até modificações na potência dos motores, passando pela utilização de rodas de aros maiores que os recomendados pelos fabricantes e a instalação de películas extremamente escuras nos vidros – mais conhecidas como insulfilm.

Além de infringir diversos artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), as modificações indiscriminadas podem causar danos aos sistemas do veículo, além de causar acidentes que colocam em risco a vida de passageiros, motoristas e pedestres.

Insulfilm

As películas, muito comuns nos vidros laterais e de trás, por exemplo, passam uma falsa sensação de segurança e atrapalham a visibilidade, como explica William Alves, gerente geral de pós-venda da concessionária Saitama, da Honda, de Belo Horizonte. "Muitas pessoas, para se sentirem seguras, pedem a instalação de películas muito escuras nos vidros do veículo. Porém, não é consenso entre as autoridades que isso, de fato, desencoraja criminosos a praticarem assaltos contra os motoristas", comenta o especialista.

Rebaixamento

Outra modificação que atrai muitas pessoas é o rebaixamento do veículo, que acaba ficando "colado no chão". Esta característica, própria de carros esportivos e de competição, costuma ser usada por jovens que querem andar nas ruas "chamando a atenção". Mas, qual a vantagem disso? Tirando o gosto por essa estética, não há nenhum benefício para o automóvel. Ao contrário, veículos rebaixados possuem inúmeras desvantagens, que vão além dos custos envolvidos para essa alteração: a segurança é um dos fatores mais atingidos pela mudança da altura do sistema de suspensão.

Segundo William Alves, essa modalidade de tuning é, geralmente, realizada por meio de um corte que reduz o tamanho das molas que sustentam o veículo, deixando-o mais próximo do solo. "Esta alteração no sistema de suspensão, além de afetar o conforto dos ocupantes do carro, é arriscada porque reduz a resistência e a vida útil de peças importantes, como o amortecedor, podendo causar acidentes graves, sobretudo se o veículo estiver em velocidade elevada", alerta William Alves.

Existem, ainda, outros tipos de alteração nos veículos de passeio que são bastante comuns. Entre elas, podemos citar:

  • Instalação de rodas com aro maior do que o recomendado pelo fabricante

  • Modificações no motor do carro visando aumento do ruído e da potência

  • Instalação de lâmpadas de LED ou de xenônio, que tornam a luz dos faróis brancas ou azuis

  • Instalação de spoilers, ou saias, e aerofólio nas laterais e na traseira do veículo

Infrações

Alterações nas características originais do carro são regidas pelo Artigo 98º do CTB, que determina que "nenhum proprietário ou responsável poderá, sem prévia autorização da autoridade competente, fazer ou ordenar que sejam feitas no veículo modificações de suas características de fábrica".

Vale lembrar ainda que nem todas as modificações ferem o código de trânsito. O rebaixamento da suspensão, por exemplo, é um tuning permitido, desde que o veículo passe por uma vistoria específica no Detran e que a mudança seja aprovada. A partir disso, é emitido um novo Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo  (CRLV), que passa a constar uma observação sobre a modificação na suspensão.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade