Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Região sudeste do Brasil é a mais preconceituosa

Pesquisa do Ibope mostra que 21% dos moradores do sudeste se dizem preconceituosos


postado em 04/12/2017 12:36 / atualizado em 04/12/2017 13:09

Gênero, orientação sexual, raça e aparência são as características humanas que mais sofrem preconceito no Brasil. Segundo uma pesquisa do Ibope Inteligência, a pedido da cerveja Skol, 17% dos brasileiros se consideraram preconceituosos, e muitos atos de discriminação seriam cometidos de forma involuntária. O levantamento foi feito em todas as regiões do país, com 2.002 pessoas, no mês de setembro.

A pesquisa mostra que, apesar de 83% dos entrevistados não se considerarem preconceituosos, 72% já soltaram algum tipo de comentário considerado ofensivo. Ou seja, sete em cada 10 brasileiros chegou a dizer algo que ofendeu terceiros.

O Ibope descobriu ainda que, na região sul do Brasil, 13% das pessoas se consideraram preconceituosas e 71% assumiram que já fizeram algum comentário preconceituoso. Neste caso, as mulheres se mostraram a maioria dos voluntários que cometeram ofensas. Grande parte dos sulistas também são machistas: 59% dos consultados reconheceram que proferiram frases machistas, mas que não imaginaram se tratar de algo ofensivo na ocasião – neste caso, a discriminação teria ocorrido de forma "involuntária".

A pesquisa do Ibope se baseou em quatro tipos de preconceito, que são subentendidos por expressões consideradas "comuns" e que afetam gênero, orientação sexual, raça e aparência. Os entrevistados foram convidados a ouvir algumas frases e dizer se já as conheciam ou as falaram. Entre os moradores do sul do país, as frases ofensivas mais usadas são "Mulher tem que se dar ao respeito" (48%); "Não sou preconceituoso, até tenho um amigo negro" (31%); "Mulher ao volante, perigo constante" (30%); "Toda negra ou mulata tem samba no pé" (26%); e "Ele [a] é bonito [a], mas é gordinho [a]" (22%).

O levantamento inédico descobriu que as diferentes formas de preconceito fazem parte do cotidiano do brasileiro, sendo praticadas ou apenas presenciadas. Por exemplo, atos machistas são comuns para 99% das pessoas analisadas. Além disso, 61% disseram que já fizeram algum comentário machista, mesmo que não considerassem a ação como preconceituosa. Ainda em relação ao gênero, o principal tipo de ofensa descoberta pela pesquisa do Ibope diz respeito à comunidade LGBT. A homofobia foi citada como o principal preconceito (29%) cometido por aqueles que se reconheceram preconceituosos.

As ofensas também mudam conforme a região do país. As frases de cunho machista são mais faladas nos estados do norte e do centro-oeste, por 67% das pessoas. Já os moradores do sudeste se mostraram os mais preconceituosos do Brasil, com índice de 21% de entrevistados que reconheceram discriminar.

(com portal do Ibope Inteligência)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade