Gorilinha do zoológico de Belo Horizonte completa um ano

O zoo da capital mineira é exemplo na conservação da espécie Gorilla gorilla gorilla

por Encontro Digital 07/05/2018 11:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Suziane Fonseca/PBH/Divulgação
(foto: Suziane Fonseca/PBH/Divulgação)
O jardim zoológico da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB) da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) está em festa. Isso porque o pequeno Ayo, terceiro filhote de gorila nascido no zoo, está completando seu primeiro ano de vida – nasceu no dia 8 de maio de 2017.

Segundo a FPMZB, o gorilinha Ayo (ou 'Ayô', nome de origem nigeriana que significa "alegria") está saudável e parece feliz em fazer parte da grande família que inclui, ainda, os irmãos Sawidi e Jahari, a mãe Imbi, a "tia" Lou Lou e o pai Leon. Ainda conforme a fundação, todos demonstram comportamentos próprios da espécie que, atualmente, consta na lista de animais ameaçados de extinção.

O sucesso na conservação desses primatas no zoológico de BH é resultado do planejamento das ações técnicas para se formar o primeiro grupo reprodutivo da subespécie africana Gorilla gorilla gorilla da América do Sul e traçar estratégias para ajudar na conservação in situ (na natureza), informa Sérgio Augusto Domingues, presidente da FPMZB.

Conforme Domingues, foi necessário muito empenho e dedicação da equipe técnica do zoo para se chegar á família de gorilas que temos hoje no espaço de conservação. "Nenhuma outra cidade da América do Sul hoje possui sequer um indivíduo da espécie. E nós temos um grupo, uma família, de seis gorilas. Após muitos anos de capacitação e aprimoramento de ações relacionadas aos cuidados com esses primatas é possível comemorar a solidez de um trabalho coletivo que envolve conhecimento nas áreas de bem-estar animal, biologia e veterinária. Todo esse esforço representa a essência e importância da existência de zoológicos bem estruturados: a conservação das espécies e o potencial para desenvolvimento de ações de educação ambiental", comenta o presidente da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica.

Os animais adultos que podem ser visitados no zoológio da capital mineira são oriundos de instituições diferentes: enquanto as fêmeas Lou Lou e Imbi vieram do Reino Unido (do zoológico Howletts – Fundação Aspinall); o macho Leon (nascido em Israel) veio de Tenerife, na Espanha (do zoo Loro Parque).

Comportamento

A FPMZB lembra que os gorilas vivem em grupos constituídos por cinco ou 30 indivíduos, entre jovens imaturos, fêmeas e seus filhotes, liderados por um macho adulto dominante. Esse é facilmente reconhecido por apresentar nas costas pelos cinza-prateados – por isso são chamados de "silverback". A liderança é conseguida graças à experiência e à habilidade de proteger o grupo e não somente por causa de sua força.

"Na natureza, esses animais saem do grupo no qual nasceram quando atingem a maturidade sexual. Os machos podem formar grupos de solteiros ou ficar solitários até encontrarem fêmeas para constituir seu próprio grupo. Para as fêmeas, essa migração se dá por volta dos oito anos e, a partir dos 11 anos para os machos", esclarece a fundação.

Sobre os gorilas do zoológico de BH:

Imbi
  • Nascimento: 2000
  • Quando chegou  ao zoo: 2011
  • De onde veio: Reino Unido

Leon
  • Nascimento: 1998
  • Quando chegou ao zoo: 2013
  • De onde veio: Espanha

Lou Lou
  • Nascimento: 2004
  • Quando chegou ao zoo: 2013
  • De onde veio: Reino Unido

Sawidi
  • Nascimento: 5 de agosto de 2014
  • Pais: Lou Lou e Leon

Jahari
  • Nascimento: 10 de setembro de 2014
  • Pais: Imbi e Leon

Ayo
  • Nascimento: 8 de maio de 2017
  • Pais: Imbi e Leon

(com assessoria de imprensa da PBH)

Últimas notícias

Comentários