Usar o celular durante o carregamento da bateria é perigoso?

Especialista esclarece essa e outras dúvidas sobre as baterias dos smartphones

por Da redação com assessorias 17/05/2018 09:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Desde que os smartphones passaram a fazer parte da vida das pessoas, as baterias dos aparelhos passaram a ser o centro das atenções dos usuários, especialmente em relação à vida útil e duração da carga. Além disso, depois que o descontinuado Galaxy Note 7, da Samsung, apresentou defeito que fazia a bateria "explodir", inúmeros boatos acerca dessa parte dos dispositivos surgiram na internet.

É perigoso deixar o aparelho carregando mais tempo do que o recomendado? Se tirar da tomada antes da carga total a bateria fica "viciada"?

Para tirar algumas dúvidas dos usuários, pedimos ao consultor de tecnologia Everton Vianna para esclarecer pontos polêmicos relacionados às baterias dos celulares:

Bateria pode viciar?
"Ainda que tenha perdido seu desempenho original, demore mais tempo para completar sua recarga ou descarregar mais rapidamente, a bateria provavelmente não está viciada", esclarece o especialista. Ele lembra que os celulares fabricados atualmente costumam usar baterias de íon de lítio, o que significa que ela não vicia e pode ter cargas parciais sem estragar. "Os aparelhos mais antigos podem apresentar algo desse tipo pois eram fabricados com baterias de níquel-cádmio, que eram sujeitas a algo conhecido como 'efeito memória'", completa.

Ainda é preciso dar a primeira carga em aparelhos novos?
Everton explica que, em virtude dos modelos antigos, muitos usuários acreditam que os celulares que saem de fábrica precisam receber uma carga inicial para não viciarem. "A prática, no entanto, não é necessária, já que os modelos costumam ser vendidos com uma carga parcial. Como as baterias não viciam, fica a seu critério fazer a primeira recarga ou não, mas lembre-se que isso não influenciará no desempenho do aparelho".

Faz mal usar o telefone até a descarrega total da bateria?
Essa é uma das piores situações que o usuário pode submeter seu celular, de acordo com o consultor. "Por conta da tecnologia de íon de lítio, deixar o aparelho ficar completamente sem bateria faz com que ela diminua sua vida útil", esclarece o especialista. Por conta disso, as grandes empresas fabricam os aparelhos com um dispositivo de segurança que desliga automaticamente o sistema quando a carga chega perto de 5%. "Com essa estratégia, a bateria não fica totalmente sem carga e sua vida útil é preservada".

Pode deixar o celular carregando por muito tempo?
"Caso o seu carregador seja original e não possua nenhum defeito, o risco é quase nulo, já que os celulares atuais já saem de fábrica com formas de cortar a alimentação de energia quando chegam nos 100% para não ficarem superaquecidos", comenta Everton Vianna. Por outro lado, se o carregador não for original, é preciso ficar atento. "A comunicação entre o acessório e o celular pode ser falha e aquecer o aparelho, podendo queimar o smartphone ou até mesmo apresentar risco de explosão".

Usar o celular enquanto está carregando é perigoso?
O consultor de tecnologia afirma que, em teoria, o uso do celular ao mesmo tempo em que ele carrega só faria a recarga ficar um pouco mais demorada. "Porém, altas temperaturas podem ser registrada durante esse uso simultâneo, fazendo com que a performance da bateria diminua e que alguns componentes do celular sejam danificados. A dica, neste caso, é evitar utilizar aplicativos mais pesados, como jogos, no instante da recarga para diminuir o risco de um superaquecimento". Se perceber que o aparelho está aquecendo, desligue-o ou retire o carregador.

Carregador veicular danifica a bateria?
Conforme o especialista, esse tipo de carregador não costuma oferecer um funcionamento apropriado e oscilações podem causar danos irreversíveis à bateria. "No entanto, isso também acontece para os carregadores de tomada. Por isso, sempre dê preferência por carregadores originais com a mesma especificação do seu celular".

Aquecimento do celular pode estragar a bateria?
"Sim, manter o smartphone exposto a temperaturas muito altas pode drenar a bateria de forma mais rápida, o que, por consequência, pode diminuir a vida útil dela. Em ambientes fechados, como sua casa ou trabalho, evite mantê-la próxima a locais quentes", diz Everton. Para uso no automóvel, o recomendado é procurar um local com menor exposição solar e não deixar o aparelho próximo às janelas, por exemplo.

Baterias podem explodir?
Everton Vianna alerta que, por mais que não seja comum, mau uso da bateria ou erros de engenharia cometidos pela fabricante do celular podem ocasionar explosões. "Foi o que aconteceu com o Galaxy Note7, no fim de 2016. Em situações normais, no entanto, o sistema que mantém a temperatura do aparelho estável funciona corretamente. Caso haja um superaquecimento, a bateria torna-se inoperante, evitando um incidente maior".

A bateria perde sua capacidade com o tempo?
O consultor explica que, assim como os demais equipamentos, em que existe um desgaste natural de sistema e peças, a bateria do celular também está sujeita à perda de rendimento com o passar do tempo. "Sua vida útil é, em média, de um ano, sem apresentar problemas. Depois disso, é natural que o desempenho apresente uma queda. No entanto, todos os fatores citados nos itens anteriores ajudam a prolongar esse período".

Últimas notícias

Comentários