Música alta pode interferir no hábito alimentar, diz estudo

Cientistas descobriram que o som alto induz à ingestão de alimentos pouco saudáveis

por Correio Braziliense 12/06/2018 14:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Recentemente, um estudo comprovou os benefícios da música no controle da pressão arterial. Mas, isso não significa ouvir o som em alta intensidade. Neste caso, uma pesquisa americana associa a música alta às escolhas alimentares. Por meio de um experimento realizado em uma cafeteria, cientistas descobriram que o volume do som ambiente exerce efeito sistêmico sobre as preferências dos consumidores por alimentos saudáveis ou não. Os resultados foram publicados na revista científica Journal of the Academy of Marketing Sciences.

Estudar quais os fatores influenciam na compra de alimentos é um tema bastante explorado pelo autor principal do estudo, Dipayan Biswas. "Eu tenho trabalhado, por um tempo, nos efeitos de fatores ambientais e atmosféricos no comportamento de compra de alimentos. Por exemplo, anteriormente estudei os efeitos da luz ambiente", conta o professor da Universidade do Sul da Flórida, nos Estados Unidos.

Biswas conduziu o estudo em um café em Estocolmo, na Suécia. Para a análise, tocou vários gêneros musicais a 55 e 70 decibéis. Quando as canções eram tocadas, os cientistas monitoravam os pedidos dos clientes. Os ingredientes do menu tinham as seguintes categorias: saudáveis, não saudáveis e neutros – usada para itens como café ou chá.

O experimento durou vários dias e foi feito em horários distintos. Os pesquisadores descobriram que 20% a mais de clientes pediram um prato não saudável quando expostos a música ambiente mais alta, quando comparados aos que passaram pela experiência com uma trilha sonora mais tranquila.

Os pesquisadores explicam que a música mais suave tem um efeito calmante, tornando as pessoas mais conscientes do que pedem. Isso, normalmente, resulta em escolhas mais saudáveis, como uma salada para a refeição. Ambientes com som muito alto, por outro lado, aumentam a estimulação e o estresse, inspirando os clientes a desejar um cheeseburger com batatas fritas, por exemplo.

Biswas explica que, embora estudos anteriores tenham analisado aspectos variados do impacto do ambiente na venda de alimentos, como iluminação, aroma e decoração, o trabalho liderado por ele é o primeiro a analisar especificamente como o som ambiente interfere nas escolhas alimentares. O cientista acredita que a descoberta poderá ajudar os estabelecimentos comerciais em estratégias de marketing. "Restaurantes e supermercados que querem ter um nível maior de vendas de alimentos saudáveis devem ter música ambiente de baixo volume, enquanto a música ambiente de alto volume levaria a maiores vendas de alimentos não saudáveis", resume.

O cientista adianta que a pesquisa terá continuidade, com o objetivo de entender melhor os fatores que influenciam a compra de alimentos. "Tenho projetos em andamento examinando outros aspectos dos fatores ambientais. Esses projetos utilizam os dados da pesquisa que examina os efeitos do volume da música ambiente", diz.

Últimas notícias

Comentários