Primeiro templo religioso de Brasília completa 60 anos

Nem todos conhecem a Igrejinha de Fátima, projetada por Oscar Niemeyer

por Encontro Digital 28/06/2018 11:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Phillipe Torelley/Iphan/Divulgação
A Igrejinha de Fátima, em Brasília, é um projeto de Oscar Niemeyer e possui azulejos pintados por Athos Bulcão (foto: Phillipe Torelley/Iphan/Divulgação)
Quando Brasília começou a ser planejada e desenvolvida em 1956 pelo então presidente Juscelino Kubitschek, ele convidou o urbanista Lúcio Costa, o arquiteto Oscar Niemeyer e o engenheiro Joaquim Cardoso para contribuírem com a construção da nova capital do Brasil. Antes da inauguração da cidade, os trabalhadores podiam expressar a fé na Igreja Nossa Senhora de Fátima, também chamada de "Igrejinha" pelos barsilienses. O primeiro templo religioso de Brasília está completando 60 anos em 2018.

Construída em apenas 100 dias, a capela foi projetada por Niemeyer e sua arquitetura faz referência a um famoso chapéu usado por freiras, a partir da interligação de apenas três pilares por arestas sinuosas. Segundo a crença popular, o projeto foi feito a pedido da ex-primeira-dama Sarah Kubitschek, como agradecimento pela cura de uma das filhas.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2007, assim como outras obras da capital federal, o templo é revestido por azulejos de Athos Bulcão e por pinturas de Francisco Galeno, aluno de Alfredo Volpi, responsável pelo primeiro painel da igreja. Antes, havia afrescos com bandeirolas e anjos de Volpi, que foram cobertos por tinta em uma reforma ocorrida na década de 1960, segundo informações da Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Apesar da riqueza artística do local, a igrejinha não perde a simplicidade. Frei Clézio Menezes dos Santos considera que isso a torna ainda mais especial. "A igrejinha junta duas espiritualidades: a mariana, desde a sua construção, com a simplicidade de Maria, por ser tão pequenina, por acolher o povo peregrino, e a espiritualidade franciscana, que também é marcada pela simplicidade", comenta em entrevista á Agência Brasil.

"Para nós, essa comemoração é importante por ser a primeira capela da nova capital, por ter esse símbolo forte de Nossa Senhora, por ser espaço para a devoção à mãe de Deus. E, em segundo lugar, porque desde a sua fundação ela é cuidada por frades capuchinos [ordem religiosa de matriz franciscana]", completa o religioso.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários