Anvisa alerta para uso de silicone industrial

Aplicação do produto no corpo é proibida no Brasil e gera risco à saúde

por João Paulo Martins 31/07/2018 10:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Chemethai.com/Reprodução
(foto: Chemethai.com/Reprodução)
Depois da polêmica causada pela falsa médica Patrícia Silva dos Santos, 47 anos, conhecida como "Paty Bumbum", que usava sua casa no bairro de Curicica, na zona oeste do Rio de Janeiro (RJ), para aplicar silicone industrial em pacientes, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou um texto em seu site oficial para esclarecer os riscos dessa prática, que é proibida pela agência.

"O silicone industrial não deve nunca ser utilizado no corpo humano e tem como finalidade a limpeza de carros e peças de avião, impermeabilização de azulejos, vedação de vidros, entre outras utilidades. Porém, o desvio de sua correta utilização, servindo como material para cirurgia plástica, por exemplo, é considerado crime e pode causar sérios riscos à saúde", alerta a Anvisa.

É sabido que o silicone, composto químico que serve para uma vasta gama de aplicações industriais, comerciais e estética. No caso de procedimentos cirúrgicos, ele pode ser usado em forma de próteses e implantes (nunca na forma líquida), que precisam ser aprovados pela Anvisa e devem ser manipulados por pessoas especializadas, habilitadas, e em hospitais com a estrutura necessária para atender o paciente.

A Vigilância Sanitária lembra que a aplicação de silicone industrial, que tem aspecto oleoso, no corpo, pode gerar diversas anomalias, seja na hora da aplicação ou com o passar dos anos, como deformações, dores, dificuldades para caminhar, infecção generalizada, embolia pulmonar e, até mesmo, a morte.

"A aplicação ilegal do silicone industrial no corpo humano é considerada crime contra a saúde pública previsto no Código Penal, como exercício ilegal da Medicina, curandeirismo e lesão corporal", diz o texto da agência.

A Anvisa orienta as vítimas de falsos médicos ou de profissionais inabilitados, que receberam silicone industrial no corpo, a procurarem um especialista, mesmo que não tenha aparecido qualquer reação no organismo. "Somente um médico especialista pode avaliar a gravidade de cada caso", completa a agência.

Produto registrado

De acordo com a Vigilância Sanitária, para saber se um produto é registrado e aprovado no Brasil, é preciso consultar o sistema de produtos regularizados ou entrar em contato com a central de atendimento da Anvisa, pelo telefone 0800-6429782. A ouvidoria da agência também recebe denúncias de uso de materiais irregulares ou de práticas não autorizadas.

(com portal da Anvisa)

Últimas notícias

Comentários