Como introduzir alimentos naturais na dieta dos cães?

Especialista lembra que esses bichinhos são carnívoros por natureza

por Da redação com assessorias 16/07/2018 09:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Quando se trata da alimentação dos cães, muitos tutores ficam em dúvida se a melhor escolha para os bichinhos é mesmo a ração. De qualquer forma, assim como os humanos, os cachorros também precisam de refeições equilibradas para manter a saúde em dia. Um movimento que vem ganhando força no mundo diz respeito à alimentação natural para os pets. "Trata-se de uma dieta balanceada composta por ingredientes naturais e minimamente processados, diferente do que acontece com as rações", explica a veterinária Bárbara Freire, do aplicativo DogHero, que completa, dizendo que o único tipo de tratamento pelo qual esses alimentos devem passar é o cozimento e o congelamento.

A especialista lembra que os cães são animais carnívoros por natureza e, por isso, têm o organismo preparado para receber dietas com maior percentual de proteína, o que não ocorre com a maioria das rações O ideal é que a dieta seja equilibrada e composta por proteínas, gorduras de boa qualidade, carboidratos vitaminas, minerais e água. "A composição nutricional da comida natural para cachorro deve ser feita sob a orientação de um médico veterinário nutricionista e de acordo com o estilo de vida do animal, idade, porte e nível de atividade", orienta a veterinária.

Para quem não sabe, as rações industrializadas surgiram no Brasil na década de 1970, ou seja, os cães passaram muito mais tempo consumindo alimentos naturais do que processados. "A maior diferença é que a alimentação natural para cães busca adaptar o alimento para a melhor digestão e aproveitamento dos pets. Os dentes dos cães já indicam isso: são presas que servem para rasgar carnes e têm menor capacidade para triturar alimentos como vegetais, por exemplo", diz Bárbara Freire.

Por ser feita de forma individualizada, a alimentação natural pode ser adaptada para todos os tipos de animais (jovens, adultos ou idosos), castrados ou não e também para portadores de doenças crônicas. A especialista esclarece que algumas enfermidades apresentam boas respostas à mudança de dieta para a alimentação natural para cães, como obesidade, diabetes, alergias de pele e alimentar, doença renal crônica, cardiopatias, pancreatite, câncer, gastrite, doenças do trato intestinal e urinário.

Em relação à forma de introduzir carnes, vegetais e gorduras na rotina dos bichinhos, primeiramente, é preciso buscar ajuda de um especialista no assunto. "O veterinário vai pedir exames de rotina e complementares para que possa avaliar todas as necessidades nutricionais do cão. A partir daí, o tutor e o veterinário devem conversar sobre a rotina do animal para que possa ser estipulada a quantidade de calorias que devem ser ingeridas diariamente. Outro ponto importante é incluir na dieta alimentos que sejam fáceis de encontrar e cozinhar", afirma a veterinária.

Bárbara cita os principais produtos usados na alimentação natural para os cachorros:

  • Proteínas: peixe, frango, boi, ovos, cordeiro, porco, coelho, além de vísceras de animais (fígado, língua, coração, baço, rins, pulmão)

  • Carboidratos e fibras: abobrinha, chuchu, vagem, rúcula, brócolis, cenoura, beterraba, inhame, batata doce, mandioca, ervilha, arroz integral, lentilha, psyllium e extrato de yucca

  • Gorduras: óleo de coco, óleo de borragem, óleo de peixe, banha suína

A especialista faz questão de alertar para os alimentos devem ser evitados na dieta dos cães, por serem de difícil digestão ou potencialmente tóxicos para os bichinhos, como carambola, cebola, chocolate, leite, pão, salsicha, uva, café e macadâmia.

Últimas notícias

Comentários