Anatel libera frequência de 700 MHz para o 4G nas capitais

Mas, antes, as operadoras de celular devem fazer testes nessa banda

por Encontro Digital 08/08/2018 09:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Em comunicado enviado à imprensa, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informa que liberou o uso da faixa de frequência de 700 mega-hertz (MHz) para uso de telefonia móvel em todas as capitais do Brasil. Após o desligamento do sinal analógico de TV em todas as capitais, a faixa será destinada à ampliação da rede 4G de dados e voz.

De acordo com a Anatel, faltava apenas Florianópolis (SC) ser autorizada a usar essa fatia do espectro. No dia 14 de agosto, está previsto o desligamento do sinal analógico de TV nas regiões norte e centro-oeste. Com isso, a faixa dos 700 MHz estará totalmente liberada para as operadoras trabalharem com transmissões em 4G.

"Essa faixa de frequência, que era utilizada pelos canais de TV, agora permite a transmissão de banda larga móvel, com maior velocidade, chegando a uma transmissão até três vezes maior do que a atual", informa a agência reguladora.

Com isso, as operadoras já podem iniciar os testes de mitigação, em que se verifica a possibilidade de interferência na rede de outras operadoras ou na geração do sinal de TV.

Durante esse período, as operadoras vão realizar campanha de mitigação preventiva, na qual a população é informada sobre como agir em caso de interferência do sinal da banda larga móvel na TV aberta digital. Após o término deste processo, a Anatel autoriza que a banda larga móvel passe a funcionar na faixa de 700 MHz.

"O Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV já autorizou até agora o início da mitigação preventiva em 3.858 cidades, sendo que, destas, 1.854 já finalizaram o processo e, portanto, já estão aptas a utilizar o licenciamento, o que beneficia mais de 60% da população brasileira", diz a nota da Anatel.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários