Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Pneumonia, que afetou o ex-craque Ronaldo, pode ter várias causas

Para o tipo bacteriano, o tratamento é feito com antibióticos


postado em 13/08/2018 10:53 / atualizado em 13/08/2018 10:56

A pneumonia, doença que afetou o ex-craque Ronaldo, pode ter várias origens, mas, a mais conhecida é a causada por bactéria(foto: Instagram/ronaldo/Reprodução)
A pneumonia, doença que afetou o ex-craque Ronaldo, pode ter várias origens, mas, a mais conhecida é a causada por bactéria (foto: Instagram/ronaldo/Reprodução)
De acordo com o Ministério da Saúde, a pneumonia é a terceira principal causa de mortes no Brasil. Em 2013, por exemplo, foram registrados 68,3 mil óbitos em decorrência da doença, perdendo apenas para acidente vascular cerebral (AVC) e infarto do miocárdio. O problema respiratório voltou a chamar a atenção depois que o ex-jogador Ronaldo Nazário, de 41 anos, precisou ser internado às pressas na policlínica Nuestra Señora del Rosario, em Ibiza, na Espanha, na sexta, dia 10 de agosto, devido a um quadro de pneumonia. A informaçãop foi divulgada pelo jornal local Diario de Ibiza.

No Twitter, o ex-craque da Seleção Brasileira publicou uma mensagem para acalmar os fãs. "Pessoal, tive um quadro de forte gripe aqui em Ibiza, cheguei a ser internado na sexta-feira [dia 10], mas já está tudo sob controle! Amanhã [segunda, dia 13] recebo alta e volto pra casa! Obrigado a todos pelas mensagens e carinho!", diz o eterno R9, que não chegou a reconhecer que foi vítima de pneumonia. A doença teria sido diagnostica na tarde de sexta (10), conforme apuração feita pelo periódico espanhol.

Vale lembrar que a pneumonia é uma doença inflamatória aguda causada por micro-organismos (vírus, bactérias ou fungos) ou pela inalação de produtos tóxicos que comprometem os pulmões. "Quando a contaminação ocorre fora do ambiente hospitalar, ela é chamada 'pneumonia comunitária'. Quando a pneumonia acomete pessoas hospitalizadas ou que estiveram hospitalizadas por dois ou mais dias nos três meses precedentes, ela é chamada 'pneumonia hospitalar', que costuma ser mais grave, já que o agente etiológico provavelmente é resistente aos antibióticos usuais", informa um texto explicativo publicado no site da agência de notícias da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

De acordo com a Agência Fiocruz, os sintomas mais comuns da doença são tosse com secreções (pode conter sangue), febre alta (chega a 40º C), calafrios e falta de ar ou dor no tórax durante a respiração. "O diagnóstico é feito basicamente a partir do histórico do paciente, de exames clínicos e de raios-x do tórax. Outros exames complementares podem ser necessários para identificar o agente causador da doença. O tratamento depende do micro-organismo causador da enfermidade. Quando não é tratada, a pneumonia pode evoluir para um quadro mais grave, podendo levar a morte do paciente", alerta a fundação.

Em relação ao tratamento, o mais recomendado para as pneumonias bacterianas é o uso de antibióticos. Antigamente era comum usar a penicilina, mas a administração excessiva acabou levando à resistência das bactérias. Com isso, hoje, são usados remédios chamados de macrolídeos (como amoxacilina, azitromicina e claritromicina).

Hipotireoidismo

Para quem não sabe, Ronaldo "Fenômeno" está de férias no badalado balneário espanhol de Ibiza, acompanhado por alguns amigos.

Esta não é a primeira vez que ele ganha as manchetes dos noticiários após ser diagnosticado com algum tipo de problema de saúde. Em 2011, o ex-atleta revelou que, durante o tempo em que atuou pelo Milan, da Itália, entre 2007 e 2008, descobriu que sofria de hipotireoidismo, condição que afeta o metabolismo – reduz a queima das calorias e provoca aumento de peso. Esta doença, que causa fadiga, sonolência, perda de reflexos e tendência a ganhar peso, teria sido o motivo que antecipou sua aposentadoria do futebol aos 34 anos (em 2010).

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade