Quais as diferenças entre donos de cães e de gatos?

Uma pesquisa descobriu curiosidades sobre os tutores de pets

por Da redação com assessorias 03/08/2018 11:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
De acordo com um levantamento feito pela empresa americana Mars Pet Nutrition, especializada em alimentos para pets, existem diferenças curiosas entre os donos de cães e os tutores de gatos. Os resultados mostram que as pessoas que gostam mais de felinos têm propensão maior a serem criativas (quatro vezes mais chances de trabalhar com áreas que envolvem inovação e criação), enquanto os amantes de cachorros tendem a ganhar mais dinheiro, em média, o que pode estar ligado ao fato de serem mais propensos a trabalhar na área financeira.

Aliás, a renda extra pode ajudar os tutores de cães, já que eles tendem a gastar 33% a mais em roupas e acessórios e 26% a mais em entretenimento do que os tutores de gatos.

Em relação às horas livres, os chamados "gateiros" são mais propensos a assistirem documentários, musicais e filmes indie. Por sua vez, os "cachorrólatras" são grandes fãs de produções de terror e ação, mas também gostam de histórias românticas. Os donos de gatos são mais propensos a desfrutar de hobbies mais leves, como leitura, escrita e trabalhos manuais (jardinagem, por exemplo). Já os de cães, por outro lado, gostam de atividades mais agitadas, como esportes, ioga, dança e viagens – demonstrando a necessidade de gastar energia num nível semelhante ao de seus próprios amigos peludos.

Seja por meio de exercícios, abraços ou um "ouvido amigo", o impacto positivo que recebemos de nossos pets é nítido. A pesquisa descobriu que os cães são muito mais propensos a melhorar a vida de seus tutores por meio de atividades físicas do que os gatos (45% contra 8%). Os tutores de cachorros também são mais propensos a serem corredores (25% dizem correr regularmente), contra apenas 16% dos tutores de felinos.

Embora os gatos possam não ser os melhores amigos de treino, seus donos são mais propensos a dividir os pensamentos e segredos mais íntimos com os pets (23% contra 19% dos tutores de cães). E ter aquele pequeno "ombro" para chorar realmente parece ajudar, já que os tutores de felinos são mais propensos a dar crédito ao animal de estimação pela redução do estresse (70% contra 66%) e também pelo conforto em momentos de tristeza, como a perda de um ente querido ou após uma ruptura de relacionamento.

"Os benefícios dos animais de estimação para a saúde e o bem-estar dos seres humanos é um assunto amplamente estudado por nós. Os pets representam uma parte essencial da sociedade e fornecem um apoio valioso em facilitar a interação humana e os contatos sociais, além de proporcionar companhia. As evidências científicas têm demonstrado os inúmeros benefícios advindos dos pets, não só para os seus tutores, mas também para a sociedade como um todo", comenta Jam Stewart, vice-presidente de Assuntos Corporativos da Mars Pet Nutrition.

Diferentes?

Apesar dessas diferenças curiosas, o levantamento mostra que os tutores de gatos e cães têm algumas coisas em comum – especialmente quando se trata de viagens e planejamento de vida. Mais de um quinto deles leva o animal de estimação quando saem de férias; um quarto faz as refeições diárias acompanhados de seus pets; e mais de um terço compra presentes em aniversários e datas comemorativas, embora os tutores de cães tenham duas vezes mais chances (19% contra 9% dos gatos) de celebrar o aniversário de seus melhores amigos com uma festa completa.

Com laços tão fortes, não é surpresa que os pets influenciem fortemente o planejamento de vida semanal de seus tutores. Os cães têm um pouco mais de influência sobre como seus tutores tomam decisões, com mais de dois terços confirmando que o pet influencia diretamente o planejamento da casa (67% contra 58%).

Últimas notícias

Comentários