Publicidade

Estado de Minas CINEMA

Professora americana exibe filme bizarro para adolescentes e é suspensa

Um pai de aluno denunciou a exibição de A Centopeia Humana 2 à direção da escola


postado em 09/05/2016 10:28 / atualizado em 09/05/2016 10:49

Uma sessão de cinema na escola pode representar uma ótima oportunidade para se levar cultura aos jovens, mas, às vezes, isso não é bem visto. No dia 20 de abril deste ano, uma professora do colégio Jackson Central-Merry High School, que fica no estado americano do Tennessee, decidiu exibir o filme A Centopeia Humana 2 (The Human Centipede 2) para seus alunos de 15 anos. O que ela não poderia imaginar é que esse ato mudaria sua vida e geraria tanta polêmica.

O longa, distribuído em 2011, é considerdo bizarro e do gênero "torture porn" (pornô com tortura, em tradução livre), tendo sido proibido em diversos países, incluindo Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia. Assim que soube da exibição do polêmico filme, um pai de aluno fez uma reclamação à diretoria do colégio, que decidiu suspender a professora. "É inapropriado e inaceitável. Iniciamos uma investigação interna para entender como se deu a exibição do filme inapropriado. A professora foi imediatamente suspensa e continuará assim até que seja feita a investigação", diz Verna Ruffin, superintendente do colégio, em comunicado à imprensa divulgado pelo jornal local Jackson Sun.

O filme A Centopeia Humana 2, sequência da polêmica produção de 2009, fala sobre o guarda noturno Martin, um cidadão solitário, mentalmente perturbado, que se tornou obcecado pela experiência da "centopeia humana", na qual pessoas são 'unidas' pela boca e pelo ânus, em linha, lembrando o formato do animal peçonhento conhecido como lacraia. O guarda decide, então, repetir essa bizarrice.

Para se ter uma ideia, o British Board of Film Classification, órgão oficial de classificação de filmes no Reino Unido, restringiu a produção para maiores de 18 anos (nos EUA não é indicado para menores de 17) e, na explicação para essa restrição, disse que o longa é uma "excitação sexual do personagem com a ideia de exibir a total degradação, humilhação, mutilação, tortura, estupro e assassinato de suas vítimas nuas".

Ao saber do fato ocorrido no Tennessee, o diretor do longa, o holandês Tom Six (A Centopéia Humana 3), publicou um comentário em sua conta oficial no Twitter: "Deveria ser obrigatório assistir THC2 [The Human Centipede 2] nas salas de aula. Ele fala justamente sobre um personagem que sofre bullying e o que se deve fazer sobre isso".

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade