Publicidade

Estado de Minas CELEBRIDADES

Cantora Fergie revela que foi viciada em metanfetamina

A ex-integrante do Black Eyed Peas chegou a ter surtos psicóticos


postado em 07/12/2017 15:00 / atualizado em 07/12/2017 15:06

Em entrevista para o portal de notícias iNews, do Reino Unido, a cantora americana Fergie, ex-integrante do grupo Black Eyed Peas, revelou que era viciada em metanfetamina, uma droga muito perigosa e conhecida como "cristal", devido à forma em que é apresentada. A artista está lançando seu álbum solo Double Dutches, 11 anos após seu último disco, e aproveitou a conversa para lembrar esse momento triste de sua vida.

Fergie não falou sobre o fim de seu relacionamento com o ator americano Josh Duhamel – a separação foi em setembro deste ano –, mas revelou os episódios em que estava sob o efeito das drogas. Segundo ela, o vício começou antes mesmo de entrar no Black Eyed Peas. "No pior momento, eu estava sofrendo com a psicose e a demência provocadas quimicamente. Basicamente, eu alucinava todos os dias. Levou um ano após deixar a droga para que os compostos químicos saíssem do meu cérebro e eu parasse de ver coisas. Quando estava sentada, por exemplo, costumava ver abelhas e coelhos andando por aí", diz a cantora de 42 anos ao portal iNews.

A artista lembra ainda que seus surtos psicóticos provocados pela metanfetamina eram tão fortes que ela chegou ao cúmulo de pensar que estava sendo perseguida pela CIA (Agência Central de Inteligência), pelo FBI (Bureau Federal de Investigação) e pela SWAT, uma espécie de tropa de elite da polícia americana. Fergie diz que, certa vez, entrou numa igreja para "fugir" de uma suposta perseguição.

"Eles tentaram me tirar de lá, porque eu estava correndo pela igreja, enquanto pensava que a câmera do circuito de segurança estava me analisando", revela a cantora. Fergie conta ainda que chegou a pensar: "Se eu saio e a equipe da SWAT está lá fora, estou certa. Mas, se eles não estiverem lá fora, então, é a droga me fazendo ver coisas e vou acabar numa clínica". Mesmo assim, ela decidiu sair do templo religioso e percebeu que a metanfetamina a afetara de uma forma extremamente perigosa.

"Essa coisa das drogas foi uma espécie de inferno muito divertido. Até que não era mais divertido. Mesmo assim, agradeço por ter acontecido. Porque isso me deu força, crença e esperança por algo melhor", comenta Fergie.

Por sorte, a artista americana conseguiu deixar o vício e se tornar uma celebridade da música mundial, com composições de sucesso como Fergalicious, Big Girls Don't Cry, L.A. LOVE e M.I.L.F.$. "Eu sei que é inacreditável. Eu acho que tenho anjos da guarda", brinca a ex-parceira dos músicos Will.i.am, Taboo e Apl.de.ap.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade