Ex-empresária de Anitta 'vende' processo contra a cantora carioca

Segundo Leo Dias, Kamilla Fialho recebeu R$ 1 milhão pela causa judicial

por João Paulo Martins 13/06/2018 09:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/kamillafialho/Reprodução e Instagram/Anitta/Reprodução
Segundo o colunista Leo Dias, a empresária carioca Kamilla Fialho vendeu o processo contra a cantora Anitta, sua ex-pupila, para um escritório de advocacia por R$ 1 milhão (foto: Instagram/kamillafialho/Reprodução e Instagram/Anitta/Reprodução)
Desde que rompeu as relações com a empresária Kamilla Fialho, da produtora carioca K2L, em 2014, a cantora Anitta, de 25 anos, enfrenta uma batalha judicial após ser acusada, na época, de quebra de contrato. O processo está nas mãos da juíza Flávia de Almeida Viveiro de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro (RJ), e tem tudo para ser vencido pela ex-empresária da artista.

Ainda assim, segundo nota do colunista Leo Dias, publicada no jornal carioca O Dia, na segunda, dia 11 de junho, Kamilla Fialho, que já empresariou vários funkeiros famosos, incluido Naldo, MC Sapão e Lexa, estaria enfrentando dificuldades financeiras e aceitou "vender" a causa na justiça para um escritório de advocacia. "Ela ganhou R$ 1 milhão o que para o tamanho do processo parece pouco. Mas como as dívidas pessoais estavam se acumulando e não há previsão para o fim do processo, ela aceitou a proposta dos advogados. Especialistas dizem que Anitta deve ter que pagar cerca de R$ 9 milhões se perder a causa, e as chances de vitória são pequenas", diz Leo Dias, que também faz parte do programa diário Fofocalizando, do SBT/Alterosa.

Curiosamente, logo após iniciar o processo, em 2014, a dona da K2L chegou a receber a visita de Renan Machado, irmão de Anitta, que ofereceu R$ 1 milhão para que fosse feito um acordo e se finalizasse a causa na justiça. Porém, Kamilla Fialho não aceitou essa quantia e teria pedido R$ 5 milhões para encerrar a disputa. A informação é que a cantora não tinha toda essa grana e deixou que o processo continuasse.

Para quem não lembra, Kamilla começou a empresariar Anitta, ex-MC Larissa, no ano de 2012, quando a jovem artista já era um "fenômeno" do funk na cidade do Rio de Janeiro. "Ela teve aulas de interpretação, de dança, fono e canto. Uma agenda de popstar, mas ela sempre esteve disponível para aprender. Ela não fuma, não bebe. É diferente de vários artistas, mas isso tudo vem da educação que recebeu da família", revelou a empresária em entrevista para o site de celebridades Ego, em agosto de 2013.

Porém, o sucesso da produtora K2L era quase totalmente vinculado ao da Anitta, como explica o colunista Leo Dias: "Assim que Anitta saiu da K2L, muita gente apostava que Anitta sumiria. Aconteceu o oposto. Com o tempo, ficou inviável manter o escritório sem Anitta. Kamilla precisou fechar o escritório, romper a sociedade com o sócio Raphael Brahma e se desfazer de bens, até mesmo vender seu próprio carro. A essa altura, Kamilla já havia perdido todos seus artistas".

Não existe um prazo para o encerramento do processo, já que ele ainda está na primeira instância da justiça. Contudo, conforme Leo Dias, Anitta já realizou alguns depósitos em juízo e não teve várias de suas solicitações aceitas, como a troca da juíza e a manutenção do segredo na causa judicial.

Últimas notícias

Comentários