Publicidade

Estado de Minas MEMóRIA

Museu da Imagem e do Som apresenta a TV Itacolomi

BH recebe exposição dedicada à sua primeira emissora


postado em 05/12/2018 08:59 / atualizado em 05/12/2018 09:14

A partir do dia 11 de dezembro, os belo-horizontinos poderão lembrar os anos áureos da TV Itacolomi com a exposição no Museu da Imagem e do Som(foto: Arquivo EM/D.A Press)
A partir do dia 11 de dezembro, os belo-horizontinos poderão lembrar os anos áureos da TV Itacolomi com a exposição no Museu da Imagem e do Som (foto: Arquivo EM/D.A Press)

Na próxima terça, dia 11 de dezembro, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da secretaria municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, vai inaugurar a exposição TV Itacolomi – A Pioneira de Minas no Museu da Imagem e do Som (MIS-BH), que fica na av. Álvares Cabral 560, no centro da capital mineira. A mostra apresentará a trajetória da primeira emissora de televisão do estado, reunindo fotografias, depoimentos, objetos e registros audiovisuais, em que são retratados o contexto histórico, artístico e de comunicação da TV. O público poderá visitar gratuitamente a exposição até dezembro de 2019 – de segunda a sexta de 9h às 18h e nas terças de 9h às 21h.

A história da TV Itacolomi está marcada pelo pioneirismo em diversas frentes. Em termos tecnológicos, foi considerada à época uma das emissoras mais modernas da América Latina. Sua cobertura jornalística inovou na maneira de tratar diversos assuntos, da política à cultura, do esporte ao entretenimento, e ainda por criar formatos inovadores, a exemplo da revista eletrônica, realizada por meio do programa A Noite na Guanabara. Foi também responsável pelas primeiras transmissões ao vivo de jogos de futebol em Minas Gerais e por introduzir programação no horário da manhã, as demais transmissões no Brasil começavam a operar no período da tarde.

"Esta exposição busca promover espaços de interatividade e imersão destinados a conectar o visitante a cenários e personagens que marcaram a história da emissora, e a reviver imagens que fazem parte de nossa memória", afirma Juca Ferreira, secretário municipal de Cultura, citado pelo portal da PBH.

O acervo do MIS-BH conta com centenas de fotografias da extinta TV Itacolomi, com cenas de bastidores, estúdios, cenários, gravações de programas, artistas, técnicos, equipamentos e eventos da emissora. Além disso, o museu possui 22 entrevistas com apresentadores, técnicos, diretores e atores da extinta TV, gravadas no projeto 40 anos da TV Itacolomi, de 1995. Ele deixou como legado um amplo material de pesquisa sobre a TV, além da compilação de clippings, vinhetas e souvenirs com a marca da Itacolomi.

Histórico

Pertencente ao grupo Diários Associados, a rádio Guarani de Belo Horizonte obteve do governo federal a 1ª concessão de um canal de TV na capital de Minas Gerais, em 1951. O nome da futura emissora foi inspirado no pico do Itacolomi, formação rochosa de Ouro Preto que possui destaque no horizonte montanhoso mineiro. O estúdio da TV foi construído nos 23º e 24º andares do edifício Acaiaca, na av. Afonso Pena. O raio de alcance do canal ia pouco além de Belo Horizonte, alcançando as cidades de Sabará, Betim, Nova Lima e Caeté. O canal 4 foi oficialmente inaugurado às 19h30 do dia 8 de novembro de 1955.

O primeiro noticiário fixo da TV Itacolomi foi o Repórter Real, apresentado por Milton Panzi. Naquela época, o departamento de esportes era dirigido por Cleto Filho. Frequentemente, artistas do Rio de Janeiro e de São Paulo eram convidados para atuar nos teleteatros da Itacolomi. Lady Francisco era então a principal garota propaganda local. Dona Alzira Santos cozinhava em A Arte de Comer Bem e a garotada se divertia com No Reino do Faz de Conta e com o Circo Itacolomi.

No Grande Teatro Lourdes e Grande Teatro Windsor, destacaram-se os atores Amílton Fernandes, Paulo Maurício, Sérgio Cardoso, Jardel Melo, Toni Vieira e Heloísa Helena. Uma das "crias" do canal foi o diretor Mário Lúcio Vaz. Parte da programação era preenchida com filmes e seriados estrangeiros, além de onteúdo da TV Tupi de São Paulo e do Rio de Janeiro, que eram preparados em BH (incluindo O Céu É o Limite, com Oduvaldo Cozzi; e Esta É a Sua Vida, com Carlos Gaspar).

Já nos anos 1960, os programas de auditório de Fernando Sasso e Dirceu Pereira tiveram grande receptividade. Posteriormente, a estação mudou de endereço, para a rua Assis Chateaubriand 499 – onde se encontra atualmente a TV Alterosa –, e seu transmissor passou para a Serra do Curral.

Assim como ocorreu as emissoras da Rede Tupi, a Itacolomi teve sua concessão cassada, saindo do ar em 18 de julho de 1980, após 25 anos.

(com portal da PBH)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade