Publicidade

Estado de Minas EXPOSIÇÃO

Yara Tupinambá tem retrospectiva com mais de 100 obras

Artista plástica é escolhida para inaugurar nova sede da Errol Flynn Galeria


postado em 11/06/2019 11:33

"O atelier é o lugar onde passo a maior parte da minha vida", diz a artista plástica Yara Tupynambá (foto: Divulgação)
Após décadas de conquistas e sucessos, a artista plástica mineira Yara Tupynambá segue sendo inspiração para novos e antigos talentos. Sua ousadia a faz sempre buscar outros conceitos e abordagens, sem jamais se perder de suas origens. Pinturas, desenhos e murais remetem à essência das Minas Gerais, indo das paisagens montanhosas às vegetações exuberantes do Vale do Tripuí, Vale do Rio Doce, Inhotim e campos rupestres da Serra do Cipó. “Tudo é vivificado em suas obras”, diz o crítico Olívio Tavares de Araújo.
 
A escolha da artista para a inauguração da nova sede da Errol Flynn Galeria, no Lourdes, não foi por acaso. Senhora de suas vontades desde a juventude, a artista sabia onde queria chegar. Natural de Montes Claros, aos 17 anos conciliava o trabalho de datilógrafa com a aptidão para os desenhos. O esforço foi recompensado. Iniciou sua carreira realizando estudos artísticos com os mestres Alberto da Veiga Guignard, Misabel Pedrosa e Oswald Goeldi, além de ter aprimorado sua arte como bolsista do Pratt Institute, em Nova York. Após cursar a Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) passou a lecionar sobre gravura, especialmente sobre madeira, tendendo sempre para o preto e o branco. Muitas vezes confeccionava suas próprias tintas, para retratar congados, cavalhadas, violeiros, santos, procissões, festas do Divino. Tudo em uma nostálgica lembrança de suas andanças juvenis.
 
Convidada a fazer um mural sobre a Inconfidência Mineira na reitoria da UFMG, inaugurado em 1969, torna-se diretora da Escola de Belas Artes e passa a realizar diversos murais em espaços públicos e privados, com grande repercussão do seu trabalho. Tanto que, por diversas vezes, é escolhida pela crítica como destaque das artes sendo homenageada até com poemas, como fez Carlos Drummond de Andrade ao escrever Exposição, sobre a artista. “Yara é como Minas, são muitas”, diz o crítico Carlos Perktold.
 
Participante de diversos Salões de Arte Moderna, exposições, bienais e mostras internacionais, conquistou diversos prêmios e conta com 104 painéis e murais espalhados pelo Brasil, sendo sete deles tombados pelo Patrimônio Histórico Cultural de Belo Horizonte. “O ateliê é o lugar onde passo a maior parte da minha vida. Ora pintando, ora estudando, ora lendo meus livros. Nele não estão expostos os meus quadros mas os de grandes artistas que admiro”, diz a artista. São eles, completa, que me ajudam a ver e seguir os meus caminhos.
 
Programação
 
Errol Flynn Galeria de Arte
Exposição Yara Tupynambá – Uma vida na arte – Obras de 1957 a 2019
Data: de 11 de junho a 5 de julho
Rua Curitiba, 1.862, Lourdes
Entrada gratuita
 

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade