Saiba a origem do famoso queijo minas artesanal

O patrimônio cultural brasileiro, símbolo de Minas Gerais, tem origem do outro lado do Atlântico

por Marcelo Fraga 07/08/2018 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Epamig/Divulgação
Muita gente acha que o queijo minas artesanal teve origem na região da Serra da Estrela, em Portugal, mas isso não é verdade, segundo o especialista (foto: Epamig/Divulgação)
Considerado uma das iguarias mais famosas do Brasil, o queijo minas artesanal é reconhecido por sua singularidade de textura, sabor e, principalmente, pelo processo de produção, que utiliza leite de vaca cru e o famoso pingo – fermento natural que o diferencia dos demais laticínios. Mas, você sabe qual é a origem do maior símbolo da cultura e da gastronomia de Minas Gerais?

Segundo o veterinário Elmer Almeida, especialista em queijos artesanais, o saboroso produto mineiro – que recebeu do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2008, o título de patrimônio cultural brasileiro – nasceu de um tipo de queijo português produzido na ilha de São Jorge, que faz parte do arquipélago de Açores. "Apaixonado por nosso queijo, fiz questão de viajar até lá para comprovar essa história e pude presenciar que o modo de produção, a textura e o sabor do queijo deles são, de fato, idênticos ao nosso, inclusive com a utilização do pingo", comenta o especialista.

Como era de se imaginar, o "avô" do queijo minas artesanal chegou até o Brasil na época em que nosso país ainda era colônia de Portugal. Elmer Almeida conta que registros do botânico e naturalista Auguste de Saint-Hilaire (1779-1853) dão conta de que, durante as expedições pelo interior da capitania de Minas Gerais, o francês encontrou propriedades de portugueses que criavam gado e também produziam um queijo muito semelhante ao encontrado nos Açores.

Ainda conforme o veterinário mineiro, existem muitos textos afirmando que a origem do queijo minas artesanal estaria ligada, na verdade, a outro laticínio português, que é produzido na região da Serra da Estrela, no leste do país, quase na fronteira com a Espanha. "Esta história não procede. Numa visita a Portugal, cheguei a provar esse outro tipo de queijo, mas não tem nada a ver com o minas artesanal", rechaça Elmer Almeida.

Para o especialista, a única diferença existente entre o produto típico de Minas (produzido especialmente nas regiões do Serro, da Serra da Canastra e da Serra do Salitre) e o da ilha de São Jorge está na quantidade de sal contida na receita – o açoriano é mais salgado, segundo o veterinário.

Apesar das semelhanças, Elmer considera o nosso queijo único. "Minas é um estado privilegiado em termos de clima e geografia. É isto que faz o nosso queijo artesanal ser premiado e querido por todos, inclusive em outros países", afirma.

Confira, abaixo, uma reportagem produzida pelo Iphan sobre o modo artesanal de fazer queijo minas:

Últimas notícias

Comentários