Publicidade

Estado de Minas FéRIAS | SOL

Durante as férias, é importante preservar as crianças dos raios de sol

É possível curtir sem estragar a diversão. Uso de protetor solar, por exemplo, não é recomendado apenas para os dias ensolarados


postado em 03/01/2018 13:05 / atualizado em 03/01/2018 14:03

As irmãs Clara, de 7 anos, e Luisa, de 4, à beira da piscina: elas aproveitam as férias com blusas que oferecem proteção UV(foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
As irmãs Clara, de 7 anos, e Luisa, de 4, à beira da piscina: elas aproveitam as férias com blusas que oferecem proteção UV (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
O verão é a estação mais aguardada pelas crianças. E não é difícil de entender, afinal, chega de mãos dadas com as férias. É a oportunidade de a meninada se esbaldar em praças, parques e praias. Toda essa diversão, no entanto, deve ser acompanhada de muito cuidado. Na estação mais quente do ano, os pais devem ter atenção redobrada com os raios solares, já que a pele dos pequenos ainda está em formação. Diante disso, é importante conhecer os métodos de proteção. E o que é melhor, aplicá-los da maneira correta.

A dermatologista Rosana Rocon, que faz parte da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), afirma que os pais andam pecando na hora de proteger a pele dos filhos. "Muitos acham desnecessário o uso de protetor solar diariamente, especialmente em dias nublados e chuvosos, o que é um erro", diz. A especialista reitera que também em dias nublados há presença das radiações ultravioleta (UV), que podem causar os mesmo problemas decorrentes de um dia ensolarado. Juliana Garcia Vasconcelos, mãe da Clara, de 7 anos, e Luisa, de 4, reconhece o descuido. "Não tenho rotina de cuidados diários. Eles se restringem aos momentos em que as crianças se expõem ao sol em piscinas, praias, parques", afirma a administradora, que veste as filhas com roupas com proteção contra os raios solares.

A dermatologista Rosana Rocon faz um alerta aos pais:
A dermatologista Rosana Rocon faz um alerta aos pais: "Muitos acham desnecessário o uso de protetor solar diariamente, especialmente em dias nublados e chuvosos, o que é um erro" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Para manter a pele hidratada, ainda vale a recomendação de beber pelo menos dois litros de água ou suco diariamente. É importante ressaltar ainda que o consumo de suco de frutas cítricas pelas crianças deve ser evitado sob sol forte, já que, em contato com a pele, pode causar manchas. Uso de roupas com fator de proteção UV, sobretudo nos dias mais quentes, não deve ser desprezado. Os especialistas indicam também o uso de repelentes, que podem evitar o surgimento de prurigos causados por picadas de insetos. Sob o sol, essas reações podem ser acentuadas.

Ao cuidar da pele da meninada, evitam-se problemas como insolação, queimaduras, brotoejas e até mesmo câncer, no futuro. "Quanto mais cedo expostos ao sol, mais consequências eles terão na vida adulta, seja o envelhecimento da pele seja o surgimento de diversas doenças", afirma Tathya Taranto, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. "Por isso, a importância de começar cedo a proteção."

A dermatologista Tathya Taranto:
A dermatologista Tathya Taranto: "Quanto mais cedo expostas ao sol, mais consequências as crianças terão na vida adulta" (foto: Samuel Gê/Encontro)
"É preciso estar ciente de que entre 10h e 16h a quantidade de raios UV é bem maior. Sempre que possível, evite sair com crianças nesse período", completa Tathya. E, quando for realmente necessário, é indispensável o uso de bonés, chapéus, óculos de sol e roupas com tecidos leves, como o algodão, que permite a transpiração sem obstruir os poros. Tudo isso aliado ao uso de sombrinhas e guarda-sóis. Com essas recomendações, a diversão estará garantida. E protegida!

Como cuidar da pele dos pequenos

  • O protetor solar deve ser aplicado de 20 a 30 minutos antes da exposição ao sol

  • É necessário reaplicar o produto a cada duas horas. Quando em contato constante com o sol ou alto índice de transpiração, reduza para cada uma hora. Em caso de imersão na água, o produto deve ser aplicado logo após a saída

  • Em cada área do corpo deve ser espalhado, uniformemente, o correspondente a uma colher de chá do produto. Por exemplo, uma colher de chá para rosto e pescoço, outra para a parte frontal do tórax, e assim por diante

  • O Fator de Proteção Solar (FPS) mínimo deve ser 30. Para medir a eficácia do produto, devem ser considerados os dados relativos à resistência à água, proteção UVA e fotoestabilidade, contidos no rótulo

  • Para o uso de produtos repelentes, a aplicação deve ser 10 minutos após o uso do protetor solar, para que um não bloqueie o efeito do outro

Precaução Para cada idade

  • De 0 a 6 meses: é estritamente proibido o contato com o sol e o uso de qualquer produto, exceto em situações em que for prescrito por um dermatologista

  • De 6 meses a 2 anos: utilizar produtos compostos totalmente ou em maior parcela por filtros inorgânicos. Seus principais representantes são o óxido de zinco (ZnO) e o dióxido de titânio (TiO2)

  • Acima de 2 anos: utilizar produtos com balanço adequado entre filtros orgânicos e inorgânicos, com alta resistência à água e de fácil aplicação (creme para peles ressecadas, ou gel e spray para as demais)

Fonte: especialistas consultados

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade