Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Especialista alerta para casos miopia em crianças

Uso precoce de celulares e tablets está entre os fatores que impulsionam crescimento da doença, segundo oftalmologista


postado em 16/10/2019 01:38 / atualizado em 16/10/2019 03:07

Médico César Lipener alerta que crianças com miopia podem ter problemas de aprendizado e até sofrerem isolamento social, quando o diagnóstico da doença é feito tardiamente(foto: Pixabay)
Médico César Lipener alerta que crianças com miopia podem ter problemas de aprendizado e até sofrerem isolamento social, quando o diagnóstico da doença é feito tardiamente (foto: Pixabay)
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que, no ano que vem, 35% de toda a população do planeta terá miopia. Ainda de acordo com a entidade, a tendência é que esse problema de saúde avance e atinja 52% das pessoas em 2050. Por isso, especialistas se mostram preocupados, sobretudo com as crianças, que, cada vez mais cedo, desenvolvem essa doença devido a utilização precoce de tablets e smartphones.

O oftalmologista César Lipener, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, ressalta que diversos estudos científicos relacionam o uso desses dispositivos s ao surgimento do problema visual. "É preciso desestimular o uso intenso, sobretudo na infância, trocando esses aparelhos por atividades ao ar livre. Pesquisas realizadas em todo o mundo mostram que essa medida é eficaz para diminuir o avanço da miopia", afirma o especialista em entrevista ao site da Agência Brasil.

Prevenção

Ele destaca, ainda, que o desenvolvimento visual ocorre nos primeiros anos de vida e a visão atinge sua maturidade entre os cinco e seis anos de idade. Por isso, é importante que, além de evitar que as crianças usem aparelhos eletrônicos excessivamente, os pais fiquem atentos aos exames preventivos, pois, pode ser que a criança tenha algum problema, mas não se queixa, e os pais não percebem. 

César Lipener alerta que essa desatenção pode resultar em um possível diagnóstico tardio, que, muitas vezes, acarreta em sequelas que a criança pode carregar para o resto de sua vida. O especialista lembra que, no Brasil, estimativas mostram que 80% das crianças em idade escolar nunca fizeram exames oftalmológicos, o que é alarmante porque a miopia pode ter, como consequência, prejuízos no aprendizado e, até mesmo, isolamento social.

Portanto, é na idade pré-escolar (por volta dos quatro anos) que as crianças devem passar por uma avaliação oftalmológica, de acordo com o médico. Mas pode ser que isso precise ser feito bem antes dessa fase, dependendo de alguns fatores, como explica o oftalmologista: "Se houver alguma coisa que chame atenção, como casos de problemas visuais na família (hereditariedade), principalmente pais com estrabismo ou alto grau, a consulta deve ser mais precoce ainda, até no primeiro ano de vida", diz. "O diagnóstico é simples e, atualmente, existem opções de tratamento eficazes para retardar a progressão da miopia", completa César Lipener à Agência Brasil.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade