Publicidade

Estado de Minas RELIGIOSIDADE

Neste dia 2 de fevereiro, baianos prestam homenagem a Iemanjá

A 'deusa das águas' é um dos principais orixás femininos


postado em 02/02/2016 11:03

No dia 2 de fevereiro acontece em Salvador, capital da Bahia, a maior festa popular dedicada a Iemanjá. Neste dia, milhares de pessoas trajadas de branco fazem uma procissão até ao templo da "deusa do mar", localizado na praia do Rio Vermelho, onde deixam os presentes em pequenos barcos artesanais que os levam para o oceano. No mesmo dia acontece a festa católica em homengagem a Nossa Senhora dos Navegantes, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, na Cidade Baixa.

Considerada a "rainha do mar" no Brasil, Iemajá é um orixá feminino – divindade africana das religiões Candomblé e Umbanda. Seu nome tem origem nos termos do idioma africano yorubá (Yèyé omo ejá), que significa "Mãe cujos filhos são como peixes". É o orixá das águas doce e salgada dos egbá, população pertencente à nação iorubá.

A figura de Iemanjá sempre foi associada ao ambiente marítimo devido à sua influência na região norte do Brasil, onde é considerada a padroeira dos pescadores. Em sua origem afriacana, entre os iorubatanos no Daomé (antigo reino, onde hoje se situa o Benin), a mãe d'água tinha origem fluvial. A divindade é conhecida por diferentes nomes no Brasil: Dandalunda, Inaé, Ísis, Janaína, Marabô, Maria, Mucunã, Princesa de Aiocá, Princesa do Mar, Rainha do Mar, Sereia do Mar, entre outros.

No sincretismo religioso – associação entre a cultura religiosa africana e os ritos católicos realizados no Brasil –, Iemanjá corresponde a Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora da Piedade e Virgem Maria.

(com Portal EBC)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade