Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Exercitar no frio pode ajudar a emagrecer mais rápido, sabia?

Estudos apontam que o corpo transforma a gordura ruim em marrom, que é usada no gasto energético


postado em 10/06/2016 14:50

De acordo com pesquisas científicas, "passar frio" pode ser um aliado na perda de peso e na construção de massa magra. Esse efeito foi estudado por um grupo de pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália. Segundo o estudo, a reação fisiológica que temos ao tremer de frio provoca mudanças interessantes em nosso organismo. O estudo apontou que o frio nos faz tremer e isso pode ter o mesmo resultado de conversão de gordura branca (armazenamento de caloria) em gordura marrom (usada no metabolismo) que temos ao praticar exercícios moderados.

Quem também chegou a essa conclusão é o endocrinologista Paul Lee, que realizou um estudo recente no Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, em Washington. O pesquisador encontrou evidências de como os músculos e as células de gordura se comunicam por meio de hormônios. Seria justamente essa comunicação que promoveria a conversão da gordura branca em marrom, pois esta última é mais eficiente para proteger o músculo do frio.

Além disso, o estudo mostrou que a exposição ao frio e ao exercício faz com que os níveis do hormônio irisina subam. Essa substância é produzida pela musculatura esquelética e atua no tecido adiposo branco convertendo-o em marrom Isso promove maior gasto energético e melhora a intolerância à glicose. Assim, níveis mais elevados de irisina circulante podem trazer benefícios sistêmicos significativos para o metabolismo, de forma geral.

Baseado nessas pesquisas o nutricionista Ricardo Zanuto, professora da USP, acredita que a melhor estratégia seja a realização de caminhadas leves no tempo frio, com menos agasalho do que o habitual. "Como os exercícios físicos também favorecem o aumento dos níveis de irisina e a conversão da gordura branca em marrom, provavelmente essa seja a receita ideal para melhorar a boa forma no inverno", explica o especialista.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade