Publicidade

Estado de Minas BRASIL

Homem-bomba da Bahia, na verdade, era homem-bala

O suposto terrorista que interrompeu o exame da OAB estava carregado de balas de gengibre


postado em 27/07/2016 14:47

Após quatro horas de negociação, um homem que ameaçava explodir bombas que teria no corpo se entregou à polícia, na noite de domingo, dia 24 de julho, em Salvador (BA). Franklin Oliveira da Costa era um dos candidatos ao Exame Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no prédio de uma universidade particular, a UniJorge, na avenida Paralela, e teria ordenado que todos saíssem do edifício, ameaçando detonar as bombas que estaria carregando, além de ter uma arma de fogo.

Segundo o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) – que fez as negociações – não foram encontrados artefatos explosivos ou armas de fogo com Franklin. Na verdade, o suposto terrorista estava carregado com balas de gengibre presas ao corpo. Após se entregar, ele foi encaminhado para atendimento médico e, em seguida, ouvido no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), na capital baiana.

No Facebook, imagem do rapaz com as balas simulando explosivos foram compartilhadas milhares de vezes. "Homem-bala de gengibre. Triste a situação desse rapaz. Pelo menos teve a vida preservada", diz um usuário do Facebook.

Prova adiada

Em nota, a OAB Bahia informou que em decorrência do ocorrido em Salvador, a Coordenação Nacional do Exame de Ordem e a Fundação Getúlio Vargas "resolvem suspender a aplicação do exame exclusivamente neste município, sem prejuízo aos demais locais de realização das provas". Além disso, informou que qualquer nova decisão será comunicada aos candidatos envolvidos.

(com Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade