Nasa diz que pode haver água líquida no planeta anão Ceres

O principal componente da vida estaria alojado no interior do planeta

por João Paulo Martins 14/07/2016 09:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA/PSI/LPI/Divulgação
A sonda espacial Dawn, da Nasa, fez novas imagens das "manchas brancas" do planeta anão Ceres, e ajudou os cientistas a descobrir que se trata de sais minerais e água (foto: NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA/PSI/LPI/Divulgação)
Novas imagens do planeta anão Ceres, divulgadas pela Nasa, mostram que as manchas brancas na superfície do astro correspondem a sais minerais formados pela ação da água. Isso indicaria a existência desse elemento essencial à vida em estado líquido nas profundezas do planeta, segundo a Agência Espacial Norte-Americana.

"É a primeira vez que vemos tanta quantidade desse tipo de matéria fora da Terra. Os minerais que encontramos nas manchas brilhantes da cratera Occator emergem como resultado da força da água sobre diferentes tipos de rochas. A presença de carbonatos na superfície de Ceres mostra que nas suas profundezas existem processos hidrotermais que lançam estas substâncias para a superfície", diz Maria de Sanctis, co-diretora da missão Dawn da Nasa, lançada em 2007 para analisar os planetas anões Ceres e Vesta.

De Sanctis e seus colegas estudam há mais de um ano as misteriosas manchas brancas de Ceres, descobertas pela sonda espacial Dawn em fevereiro do ano passado. Ao se aproximar do planeta anão, o equipamento da Nasa conseguiu analisar a composição dessas "manchas" e descobriu que se trata de uma mistura de sais minerais e água.

Na opinião da pesquisadora, é possível que nas profundezas de Ceres existam grandes jazidas de sódio, podendo ser as maiores de nosso Sistema Solar. Porém, grande parte desse material pode ter chegado à superfície há menos de 100 milhões de anos, época em que foi criada a cratera Occator.

"Com certeza, num passado recente, as profundezas de Ceres estavam 'vivas', cheias de processos hidrotermais, os quais esperamos que ainda estejam ocorrendo", comenta Maria de Sanctis. Essa suposição da cientista pode ser verdade, já que a densidade do planeta anão é de apenas 2,1 g por cm³. Ou seja, existem muitos espaços vazios no interior de Ceres ou grandes porções de gelo e água em sua superfície.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários