Nem todos sabem, mas o estrabismo pode ser corrigido em adultos

Cirurgia, como a do youtuber PC Siqueira, pode resolver o problema nos olhos

por Da redação com assessorias 28/07/2016 10:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/maspoxavida/Reprodução
Em 2016, o vlogger PC Siqueira surpreendeu seus milhões de seguidores no YouTube ao aparecer num vídeo sem estrabismo, momento em que revelou ter feito um procedimento cirúrgico (foto: YouTube/maspoxavida/Reprodução)
Recentemente, o vlogger PC Siqueira, que também já foi apresentador da MTV Brasil, anunciou em seu canal no YouTube que realizou uma cirurgia para corrigir o estrabismo, depois de quase 30 anos de convivência com essa condição – aliás, o olhar "vesgo" sempre foi a grande marca deste youtuber. Muitas pessoas estranharam que seja possível tratar o estrabismo quando se é adulto.

O problema que marcou a vida de PC Siqueira está ligado a uma condição de desalinhamento dos eixos visuais. De acordo com a oftalmologista Marcela Barreira, especialista em estrabismo infantil, é importante entender que esta condição pode se apresentar de várias maneiras. "A clássica, ou seja, a que a maioria das pessoas conhece, é quando os olhos se desviam para dentro, como era o caso do PC Siqueira. Este tipo de estrabismo é chamado de convergente [endotropia]", explica a especialista.

Outro tipo de estrabismo comum, mas menos perceptível, é quando o olho desvia-se para fora, chamado de estrabismo divergente (exotropia). "Também pode ocorrer outra situação, quando os olhos podem se desviar para cima ou para baixo, chamado de estrabismo vertical. Estes são os principais, porém, temos outros tipos de estrabismo. O que vemos na prática clínica é que os desvios são mistos, isso quer dizer que muitas vezes os eixos visuais estão desalinhados em mais de uma direção", afirma Marcela Barreira.

Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, o estrabismo atinge de 2 a 5% das crianças e afeta ambos os sexos. De acordo com a também oftalmologista Francieli Agrizzi, é muito importante que os pais estejam atentos desde o nascimento. "A visão do bebê não está completamente desenvolvida ao nascer. Por isso, o estrabismo pode se manifestar ainda no primeiro ano de vida. O ideal é consultar um oftalmopediatra para avaliação. Quando há confirmação do diagnóstico, é necessário um acompanhamento rigoroso para evitar que a visão seja afetada", explica Francieli.

É importante chamar a atenção para o estrabismo, porque não é uma questão estética apenas. "Quando não tratado, pode causar a ambliopia, mais conhecido como olho preguiçoso. Na criança, quando ocorre o desvio dos olhos, existe um mecanismo de supressão da segunda imagem. Isso quer dizer que em vez de ver a imagem duplicada, o cérebro inibe a imagem do olho saudável, afetando a acuidade visual da criança", revela a médica.

Vale lembrar que cada paciente demanda uma forma de tratamento específica, de acordo com o tipo de estrabismo apresentado. Óculos, tampão e cirurgia fazem parte do manejo do problema, especialmente em crianças.

Últimas notícias

Comentários