Carta em latim deixada por jovem que teria cometido suicídio intriga internautas

Usuários do Facebook acreditam que possa ter havido uma possessão demoníaca

por João Paulo Martins 09/08/2016 14:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Saocarlosagora.com.br/Divulgação
A adolescente Larissa Alves, de 15 anos, teria cometido suicídio no início de 2016, e os internautas estão intrigados com uma carta em latim que está sendo atribuída a ela (foto: Saocarlosagora.com.br/Divulgação)
Quando a adolescente Larissa Alves, de 15 anos, não voltou para casa após o trabalho (ela é jovem aprendiz), no dia 15 de janeiro, em São Carlos, interior de São Paulo, seus pais logo acionaram a polícia, que a considerou desaparecida. Porém, dois dias depois, o corpo da jovem foi encontrado no local em que ela trabalhava. Tudo indica que ela teria cometido suicídio por enforcamento. Esta seria mais uma ocorrência policial habitual, se não fosse por uma carta em latim que supostamente teria sido escrita pela própria Larissa.

Apesar de ser um caso registrado em janeiro deste ano, o assunto voltou à tona no Facebook e os usuários estão intrigados sobre a razão da jovem ter deixado uma carta em latim junto do seu corpo. Segundo o delegado responsável pela investigação, Edmundo Ferreira Gomes, da Delegacia de Defesa da Mulher, em entrevista ao jornal local São Carlos Agora, ainda é preciso aguardar o exame grafotécnico da carta, mas uma análise inicial mostrou que o texto parece ter sido feito por duas mãos diferentes. Ele acredita que a jovem pode ser a autora, mas a teria escrito num momento de distúrbio mental.

Um usuário do YouTube, intitulado dogpupe6, comentou um vídeo sobre o tema e disse que a carta estaria em latim eclesiástico, uma versão bem mais complicada da língua dos antigos romanos, e, supostamente, chegou a traduzir o conteúdo. Numa parte do documento, segundo o internauta, seria possível ler o seguinte: "Há um ano, teve um sonho. Viu tudo ser seu, desde que enviasse um presente, a vida. Algo inocente, poderia ser um desastre". Ainda mais estranho, ao final do texto, além da frase "deixo a carta como uma forma de explicação", há uma assinatura: "Gaap". Usuários do Facebook estão associando essa palavra ao nome de um demônio, que seria o "presidente" do Inferno, responsável por "comandar" 66 legiões e que seria vinculado ao elemento água.

"Investiguem a religião de quem trabalhava junto com ela! Existem pactos que pedem idades, gênero e tipo de pessoa específico. Tá com cara 'de ser' [sic] sacrifício", diz a usuária Mariana Ornevo de Godoy na rede social de Mark Zuckerberg. "Tá amarrado em nome do nosso senhor Jesus Cristo! Que bizarrice!", comenta Julia Lacerda. Outros estranharam também um texto que é distoante dos demais. "Estranho mesmo. A letra que escreveu 'AMO VOCEIS' [sic] é bem diferente da que está escrita em latim. E o texto não seria encontrado na internet. Wow! Surreal", afirma Iuli Oliver. Em relação ao recado "amo voceis [sic]" que a garota teria escrito à parte do texto principal, o "tradutor" dogpupe6 acredita que não é um erro de português, e sim, a frase "amo sua voz", também em latim.

Outro problema é que a tese de suicídio ainda não foi comprovada pela polícia de São Carlos. Apesar de Larissa ter sido encontrada enforcada no arquivo da empresa que trabalhava, os internautas estão questionando indícios estranhos, como as caixas que a jovem teria usado para subir antes de se enforcar, que não estavam amassadas no momento da chegada das autoridades. Outra questão seria a mão direita da adolescente, que estava fechada formando uma "figa", símbolo usado popularmente para afastar maus espírios ou o azar.

O fim deste mistério depende do andamento investigação policial, mas usuários das redes sociais não afastam a hipótese de possessão demoníaca que teria levado Larissa Alves a se matar, ou mesmo que a jovem poderia ser vítima de uma seita diabólica.

Assista, abaixo, a um vídeo do canal Assombrado, do YouTube, sobre essa polêmica:

Últimas notícias

Comentários