Modelo mineira Lea T participará da abertura da Rio 2016

A transexual, filha de Toninho Cerezo, diz que vai representar a diversidade e a inclusão

por João Paulo Martins 01/08/2016 16:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/leacerezo/Reprodução
A modelo mineira Lea T vai participar da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio e diz que levará a mensagem da inclusão e do respeito aos transexuais (foto: Instagram/leacerezo/Reprodução)
No dia 5 de agosto o mundo inteiro vai parar para assistir à abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A expectativa é que 3 bilhões de televisores estejam "conectados" aos 70 mil expectadores previstos para presenciar no Maracanã a cerimônia, que é considerada o ponto alto da maior festa do esporte mundial. Elza Soares, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Anitta e a modelo mineira Lea T são as celebridades já confirmadas para o evento.

Segundo revelou à rede de televisão BBC Brasil, Lea T (Leandra Medeiros Cerezo), filha transexual do ex-jogador Toninho Cerezo, não é posível revelar nada sobre a festa de abertura, mas adianta que terá um papel relacionado à diversidade e à inclusão. "Precisamos manter a surpresa. Mas, a mensagem será muito clara: inclusão. Todos, independente de gênero, orientação sexual, cor, raça ou credo, somos seres humanos e fazemos parte da sociedade. Meu papel na cerimônia, num universo micro e representativo, ajudará a transmitir esta mensagem", diz Lea T à BBC Brasil.

A modelo, que faz campanhas da grife francesa Givenchy, nasceu em Belo Horizonte, em 1981, e cresceu na Itália, onde mora até hoje (vive em Gênova). Sua carreira na moda começou com o estilista italiano Riccardo Tisci, que também é seu amigo. No início, quando assumiu a transexualidade, houve certa desavença com o pai, mas, hoje, os dois se dão bem. Toninho Cerezo já disse publicamente que considera uma bravura a filha ter assumido a verdadeira sexualidade – ele revelou isso em entrevista ao jornalista Juca Kfouri, em 2011.

Além das passarelas, Lea T também estampa as campanhas da marca de cosméticos Redken, que pertence ao grupo L'Oréal, de Paris.

Ainda sobre a cerimônia de abertura das Olimpíadas do Rio, Lea T, que já foi fotografada para editoriais de moda das revistas Vanity Fair e Vogue, lembra que seu papel é importante porque levanta a bandeira dos transexuais. "Falo da transexualidade porque faz parte da minha história, mas sou apenas mais uma integrante desta comunidade, sou mais uma. Sei que sou privilegiada por ter a mídia que me ouve, mas, cada transexual, em sua luta cotidiana, tem igual importância para os LGBT's", comenta a mineira à BBC.

Vale lembrar que, segundo dados da ONG Transgender Europe, que trabalha com a comunidade LGBT na Europa, entre janeiro de 2008 e março de 2014, o Brasil foi o país que mais matou travestis e transexuais no mundo, com 604 mortes registradas no período. "A falta de conhecimento provoca o medo, e o medo leva ao ódio. As pessoas precisam começar a perder o medo de aproximação desses grupos e entender que eles podem ter uma vida próxima às suas", afirma Lea T.

A abertura dos Jogos Olímpicos será realizada às 20h do dia 5 de agosto, no estádio Maracanã. No ensaio de domingo, dia 31 de julho, 15 mil convidados e voluntários puderam assistir a cinco horas de um espetáculo que mostrou a história do Brasil, desde a chegada das caravelas portuguesas até a expansão das grandes cidades. A encenação contou ainda com o voo da aeronave 14 Bis, do mineiro Santos Dumont. Agora, é só aguardar até a sexta-feira, para apreciar o momento mais esperado da Rio 2016 e conferir a participação da modelo mineira.

(com BBC Brasil)

Últimas notícias

Comentários