Pesquisadores criam novo modelo da origem do Universo

Tudo que conhecemos hoje teria se originado com as partículas hipotéticas reheatons

por Encontro Digital 11/08/2016 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo uma nova teoria da origem do Universo, ao invés de até quatro partículas, tudo que conhecemos teria se originado por meio de mais de mil delas, após o Big Bang (foto: Pixabay)
Cientistas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul desenvolveram uma nova versão da teoria da evolução do Universo após o chamado Big Bang. O estudo foi publicado no periódico científico New Scientist.

Após o Big Bang (ou Grande Explosão), os autores do estudo acreditam que neste momento, quando o Universo ainda estava quente, surgiu uma partícula hipotética, chamada de reheaton, que depois se dividiu em muitas outras. Assim que o mundo se tornou mais frio, esses elementos teriam adquirido as formas e as dimensões que observamos hoje nos astros celestes.

A ideia dos cientistas é uma alternativa para a supersimetria, teoria mais usada e que diz que cada partícula conhecida, hoje, possui uma "parceira" mais pesada. Eles argumentam que, apesar de todas as tentativas de achar as "superpartículas" no Grande Colisor de Hádrons, que fica na Suíça, este objetivo ainda não foi alcançado. Por isso, no estudo recente, os pesquisadores supõem que o número inicial de tipos de partículas não era um ou quatro, mas 1016. Ou seja, todos os elementos que a  humanidade conhece hoje são provenientes dos reheatons.

A hipótese levantada pelos cientistas americanos e coreanos não está de acordo com a atual teoria física das partículas elementares. Eles pretendem continuar com os cálculos do novo modelo, para, depois, tentar comprová-los na prática.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários