Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Será que um 'chupão' pode matar?

Caso de jovem mexicano chamou a atenção na internet


postado em 14/09/2016 08:20

Uma noite de romance mais "picante" entre o mexicano Julio Macias Gonzalez, de 17 anos, e sua namorada, de 24, pode ter sido a causa da morte do jovem. Entre beijos e abraços, a garota deu um "chupão" no pescoço do menino, que, segundo o tabloide inglês The Sun, teria provocado um derrame cerebral no adolescente.

Ainda de acordo com o jornal, após a noite amorosa do casal, Julio começou a se debater devido às convulsões. Seus familiares acionaram a ambulância, mas o serviço de emergência nada pôde fazer. Os médicos perceberam o hematoma no pescoço do jovem e relacionaram a ferida à causa da morte.

O The Sun informou ainda que a família do jovem está acusando a namorada pela morte do rapaz, mas não o paradeiro da garota seria desconhecido. Os pais disseram que não apoiavam o namoro por causa da diferença de idade.

"Chupão" pode matar?

Pode parecer mais uma dessas histórias fantasiosas, mas, segundo o médico Francesco Botelho, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Circulação Vascular de Minas Gerais, um "chupão" pode mesmo matar.

"Dependendo da força que é imprimida, a lesão pode afetar a artéria carótida, que passa no pescoço e é responsável por levar sangue ao cérebro. Essa lesão provoca trombose aguda e a pessoa pode ter um AVC [acidente vascular cerebral] e vir a morrer", explica o médico.

Para que isso aconteça, no entanto, é necessário um "chupão" exageradamente forte. De acordo com Francesco, a lesão da artéria carótida é comum em acidentes automobilísticos graves.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade