Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Já ouviu falar na Síndrome da Doença Pós-Orgásmica?

Problema raríssimo afeta os homens ao final da relação sexual


postado em 18/10/2016 08:25

Para a grande maioria dos homens, orgasmo é sinônimo de prazer. Mas, em casos raros, o ponto máximo da relação sexual pode ser sinônimo de sofrimento. Isso ocorre por causa de uma síndrome conhecida como Doença Pós-Orgásmica (Pois, na sigla em inglês), um problema incomum que afeta exclusivamente o sexo masculino.

A síndrome foi identificada em 2002 pelo cientista Marcel Waldinger, neuropsiquiatra da Universidade de Utrecht, na Holanda. Até o momento, o médico descobriu pouco mais de 200 casos.

Segundo o urologista Antônio Peixoto Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de Minas Gerais, o problema é raríssimo e, por isso, é pouco estudado.

Como mostra o especialista, depois do orgasmo, os pacientes podem sofrer uma hipotensão. "O que pode acontecer é um reflexo vagal [uma reação de vômito], que pode levar a uma queda de pressão e deixar a pessoa um pouco confusa", explica Antônio Peixoto. Ainda segundo o médico, outros sintomas também podem ocorrer, como diarreia, cansaço extremo e calafrios.

As causas da doença ainda estão sendo estudadas. Cientistas já levantaram algumas hipóteses, como uma alergia ao próprio sêmen ou distúrbio neurobiológico. O cientista holandês sugere que o problema possa estar ligado ao fator psicológico.

Tratamento

Como as causas da doença ainda não foram esclarecidas, não existe um tratamento único que seja comprovadamente eficaz. Alguns pacientes já receberam medicamentos à base de vitaminas e adesivos de testosterona. Outros, recorreram a sedativos e antibióticos. O urologista Antônio acredita que o tratamento psicológico seja a melhor opção.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade