Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Investigador paranormal alemão diz que fantasma não existe

Walter von Lucadou é psicólogo e acredita que as pessoas exteriorizam os problemas em forma de 'espíritos'


postado em 07/11/2016 18:17

Fantasmas que assombram pubs ingleses antigos; atividade paranormal em museus e castelos; espíritos que vagam em locais abandonados. Esses são os cenários mais comuns para os relatos considerados sobrenaturais. Mas, segundo o psicólogo e físico alemão Walter von Lucadou, diretor do Centro de Aconselhamento em Parapsicologia, que fica na cidade de Freiburg, na Alemanha, os fantasmas, na verdade, são fruto de problemas psicológicos que as pessoas exteriorizam.

O investigador alemão reconhece que existem "fenômenos" paranormais considerados misteriosos e supostamente inexplicáveis. Tanto é que o Centro de Aconselhamento em Parapsicologia recebe inúmeros pedidos de ajuda de pessoas que estariam enfrentando "atividades espirituais". O curioso é que essa é a única instituição da Alemanha qe funciona como uma espécie de "caça-fantasmas". Mas, o trabalho de von Lucadou não é como o retratado no famoso filme de Hollywood. Na verdade, o cientista elimina todas as variáveis naturais antes de investigar os pedidos de socorro.

"Tais eventos acontecem com muita frequência. Fico surpreso pela psicologia tradicional não levar a sério. Se alguém diz que está acontecendo coisas estranhas na casa dele, como um barulho inexplicável, portas se abrem do nada, objetos voam pelo ar, é preciso verificar a existência de 'causas naturais'. Talvez seja uma corrente de ar, uma marta [animal] no sótão ou não passa de uma brincadeira de amigos", diz Walter von Lucadou em entrevista à agência russa de notícias Sputnik, na Alemanha.

O psicólogo esclarece que ao aceitar um caso, pede ao cliente que crie uma espécie de diário, no qual deve relatar, durante quatro semanas, todos os "fenômenos" que possam ter ocorrido, incluindo os locais e os horários dos acontecimentos. Com isso, o investigador analisa o material e decide qual procedimento será usado no "combate" ao "fantasma".

"Fenômeno paranormal pode ser comparado a uma reação psicossomática que ocorre fora do corpo humano. É sabido que, se uma pessoa está constantemente irritada no trabalho, ela pode desenvolver uma úlcera de estômago. Quando o médico pergunta qual é o problema, muitas vezes, ela não pode explicar do que está sofrendo. Há vários problemas reprimidos que levam à doença", diz von Lucadou à Sputnik. No caso dos "espíritos", o alemão explica que muitas pessoas não transformam os problemas em doenças, e sim, numa espécie de desequilíbrio do ambiente. "Como, exatamente, isso acontece, é desconhecido, mas a própria essência das reações psicossomáticas é desconhecida", argumenta o psicólogo alemão.

Walter von Lucadou cita o exemplo de uma família que adquiriu uma antiga taberna. Após um período, coisas "estranhas" teriam começado a acontecer, como os barris de cerveja que se rompiam "inexplicavelmente". Os novos proprietários ficaram sabendo que o local teria sido palco de um assassinato. Então, depois de inúmeras experiências "paranormais", a família pediu ajuda ao "caçador de fantasmas". O psicólogo excluiu as causas naturais e pediu que a dona do imóvel registrasse de forma detalhada todos os acontecimentos que ocorriam na taberna durante quatro semanas.

Num certo dia, a mulher ligou para von Lucadou com a voz assustada, pedindo que ele fosse até o imóvel, imediatamente. Segundo o relato da proprietária da taberna, ela estava sozinha na cozinha quando, de repente, a faca voou no ar e quase a machucou. O investigador então analisou o material compilado pelos donos da taberna e verificou que as atividades "paranormais" só ocorriam quando o marido não estava presente. Segundo o alemão, o "mistério" estava solucionado: a esposa queria que o marido estivesse sempre ao lado dela e, como não era possível, acabou exteriorizando a insatisfação na forma do suposto "poltergeist".

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade