Saiba mais sobre a escarlatina, doença que causou um surto em colégio de Belo Horizonte

Doença tem os sintomas parecidos com os da rubéola e o tratamento é à base de penicilina

por Da redação com assessorias 04/11/2016 11:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Um dos principais sintomas da escarlatina, doença causada por bactéria e que causou um surto em colégio de Belo Horizonte, são manchas vermelhas na pele (foto: Divulgação)
Apesar de estarmos na primavera, a divulgação de casos de escarlatina em um colégio de Belo Horizonte, em outubro deste ano, que resultou até em alerta emitido pela instituição de ensino, chama a atenção para os cuidados que se deve ter com essa doença que costuma acometer crianças e jovens de 5 a 15 anos. Assim como ocorreu na Inglaterra, em março, a doença comum do outono está atuando também nos dias quentes.

Causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, a mesma que causa amigdalite e pneumonia, a doença tem os sintomas parecidos com os da rubéola (manchas vermelhas na pele, dor de garganta e febre), o que leva as pessoas a confundirem as duas. "Essa confusão se dá pelo fato de que na escarlatina a bactéria libera toxinas que provocam estas manchas, e como é pouco divulgada, muitos não têm conhecimento da doença", ressalta o médico Ismar Miranda, da Clínica Médica Popular Consulte Aqui.

A transmissão da doença é feita por meio da saliva ou da secreção nasal e atinge, principalmente, crianças em idade escolar, sendo que o período de incubação varia de um a 10 dias. "É muito importante redobrar os cuidados com a higiene, principalmente na assepsia das mãos, pois a doença é altamente contagiosa. Diante disso, evite compartilhar talheres e demais objetos, incluindo roupas, para prevenir toda e qualquer forma de contágio", alerta o especialista.

A principal forma de tratamento da escarlatina é o antibiótico penicilina. "Entretanto, se não for cuidada corretamente, pode desencadear doenças mais graves como meningite, pneumonia, febre reumática, entre outras", alerta Ismar Miranda. Para amenizar as dores de garganta – sintoma mais comum –, o paciente deve ingerir bastante água e líquidos quentes, além de umidificar o ar para evitar possíveis irritações das vias aéreas.

Últimas notícias

Comentários