Publicidade

Estado de Minas CURIOSIDADE

Chinesa tem o estranho hábito de comer terra

Ela vive na vila de Qingquan e se alimenta de terra há 50 anos


postado em 25/01/2017 15:53

Você já ouviu falar em geofagia? De acordo com o Manual de Estatística e Diagnóstico de Transtornos Mentais, da Associação Americana de Psiquiatria, a geofagia é classificada como um transtorno de alimentação em que a pessoa consome coisas que não são alimentos, como, por exemplo, terra, barro e tijolo. Mas, no caso da chinesa Fan Qianrong, de 55 anos, a ingestão de solo é algo normal, que faz parte de sua dieta.

Ela é conhecida em todo o condado de Jingxing, na China, por comer terra rotineiramente, como se fosse uma refeição tradicional. "Eu não ouso comer a terra daqui, é muito escura", diz Fan, em entrevista ao jornal chinês Global Times, fazendo referência ao solo da vila de Qingquan, onde mora atualmente. "Eu acho que a terra da minha aldeia é mais gostosa", completa a chinesa. Esse estranho hábito da moradora de Qingquan começou há 50 anos. Ela conta que provou terra pela primeira vez enquanto limpeza a casa de sua família.

"Eu como, no máximo, 500 gr por dia. Então, no total, já devo ter comido umas 5 toneladas", diz Fan Qianrong. Para ela, o consumo de terra funciona como um medicamento, para prevenir problemas de saúde.

A atitude da chinesa não é tão incomum como se imagina. Segundo uma matéria publicada na revista Scientific American, pesquisadores observaram que a geofagia está presente em pelo menos 200 espécies de animais, incluindo papagaios, veados, elefantes, coelhos e chimpanzés. Em humanos, existem registros do consumo de terra desde a época de Hipócrates (460 a.C.). Os mesopotâmios e os antigos egípcios usavam a argila medicinalmente, em forma de emplastro para tratar ferimentos e como alimento para curar problemas no intestino. Alguns povos indígenas das Américas também tratavam a terra como um tempero.

De acordo com a publicação científica, uma possível explicação para o hábito de animais e pessoas ingerirem terra é que o solo contém minerais como cálcio, sódio e ferro, que ajudariam na reposição de nutrientes e na manutenção dos processos biológicos vitais.

Ainda na entrevista para o jornal chinês Global Times, Fan Qianrong conta que, infelizmente, precisou gastar o último estoque de terra de sua cidade natal, considerada por ela como a melhor, para curar feridas que apareceram no corpo do seu neto. "Eu dei uma pausa. Se não for terra da minha cidade, não consigo comer", diz a chinesa.

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade