Publicidade

Estado de Minas NATUREZA

Morcegos hematófagos estão preferindo sangue humano

Segundo estudo realizado pela UFPE, esses animais mudaram o hábito alimentar no nordeste do Brasil


postado em 13/01/2017 12:33

Morcegos-vampiros, ou hematófagos, que vivem na América do Sul, em especial no nordeste do Brasil, que antes se alimentavam de sangue de aves, começaram a atacar pessoas em busca do precioso "líquido vermelho", embora essa atitude não faça parte do hábito desse mamífero alado. A mudança de comportamento dos morcegos hematófagos faz parte de um estudo, publicado no jornal científico Acta Chiropterologica em dezembro de 2016.

Cientistas brasileiros se surpreenderam ao descobrir a nova "façanha" desses animais de hábitos noturnos. Isso porque a espécie de quiróptero analisada não se alimenta de sangue de mamíferos. Ou seja, parece que os morcegos estão se adaptando às mudanças de habitat, usando novas fontes de alimento em meio à escassez de recursos. "Estamos entrevistando os habitantes da região para saber se eles são mordidos com frequência por morcegos-vampiros e onde isso geralmente acontece", conta o pesquisador Enrico Berdard, da Universidade Federal de Pernambuco, um dos autores do estudo, em entrevista à agência russa de notícias Sputnik.

Os rumores sobre ataques de "vampiros" nos arredores do parque nacional do Catimbau, no nordeste do Brasil, causaram preocupação dos cientistas e os incentivaram a ir atrás de esclarecimento. Para tanto, os pesquisadores realizaram buscas por morcegos em florestas e nos locais por onde eles passaram as noites.

Enrico Berdard revela que, no nordeste do Brasil, existe uma espécie de morcego-vampiro maior que os outros, chamada Diphylla ecaudata, que chega a pesar 22 gr e medir 8 cm. Estes animais se alimentam exclusivamente de sangue de aves, raramente atacam gado e não têm medo do homem.

Foram recolhidas amostras das fezes do animal, para analisar o DNA das "vítimas". O exame ajudou a desvendar quais animais foram atacados pelo "vampiro" durante o período da pesquisa de campo. Em três das 15 amostras de excrementos, foram encontrados traços do DNA humano. Sendo assim, os rumores de que morcegos hematófagos realmente passaram a beber sangue de gente foram confirmados.

De acordo com o pesquisador da UFPE, se, antes, morcegos evitavam contato com o homem, a realidade mudou devido à necessidade de sobrevivência. Os cientistas acreditam que a situação enfrentada pelos morcegos da região do parque de Catimbau é tão drástica, que resolveram atacar pessoas.

A recomendação dos especialistas é que os moradores da região não durmam em redes e instalem telas protetoras nas janelas das casas.

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade