PSDB cria jogo da memória sobre o 'legado do PT'

Partido quer mostrar as mazelas deixadas pelas presidências de Lula e Dilma Rousseff

por João Paulo Martins 04/01/2017 15:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Psdb.org.br/legado-do-pt/Reprodução
Numa estratégia política curiosa, o PSDB lançou em seu site oficial um jogo da memória sobre o "legado negativo" deixado pelo PT no Brasil durante os 13 anos dos governos Lula e Dilma (foto: Psdb.org.br/legado-do-pt/Reprodução)
Aproveitando o início de 2017 e o fim dos 13 anos do PT à frente da presidência do Brasil, o site oficial do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) criou um jogo da memória online, intitulado Legado do PT – Para Nunca Mais Ser Esquecido, em que o internauta precisa encontrar as principais mazelas causadas no país pelos governos de Lula e Dilma Rousseff.

Depois de encontrar as peças equivalentes, surge uma tela parabenizando o "jogador" e mostrando o "legado negativo" deixado pelo Partido dos Trabalhadores. "O que está em jogo é o futuro do país! O mal que o PT causou para milhões de brasileiros não pode ser esquecido. A era da incompetência, corrupção institucionalizada e irresponsabilidade com a gestão pública. Agora que você já reforçou a sua memória, compartilhe o jogo com seus amigos. Quanto mais gente jogar, mais gente vai lembrar!", diz o texto publicado do jogo que está hospedado no site do PSDB.

Entre o "legado negativo" deixado pelo PT, os tucanos enumeram a crise econômica, maior recessão de nossa hitória; o rombo das contas públicas; o crescimento do desemprego, que afeta 12 milhões de trabalhadores; e a paralisação de mais de 5 mil obras públicas.

Tudo indica que esse "jogo da memória" é uma estratégia política do PSDB visando as eleições presidenciais de 2018.

Aliás, os tucanos já estão prevendo uma melhora no país a partir de 2017. "2016 foi um daqueles anos que pareciam não terminar nunca, tal a safra de más notícias e saldos preponderantemente ruins. Fatos que impactaram negativamente as expectativas sobre o novo ano que floresceu há um dia – e o tornaram ainda mais desafiador – e reduziram drasticamente a confiança no futuro. [...] As enormes dificuldades previsíveis para 2017 não mudarão, no entanto, o que o ano guarda em si mesmo: a hipótese de ele vir a representar um marco, um ponto fora da curva, um recomeço emblemático após a tormenta das crises diversas e a agudeza deletéria de algumas delas, em especial a que ceifou milhões de empregos e reduziu consideravelmente a renda do brasileiro", afirma o senador mineiro Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, em artigo divulgado no site do partido.

Últimas notícias

Comentários