Nasa divulga imagem de 'estranhos objetos' nos anéis de Saturno

Chamados apenas de F16QA e F16QB, eles são estruturas de centenas de metros que conseguiram 'sobreviver' em meio ao material que compõe os anéis do gigante gasoso

por Encontro Digital 02/03/2017 10:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute/Divulgação
Com centenas de metros de extensão, os "objetos" F16QA e F16QB presentes no anel F de Saturno surpreenderam os cientistas, por terem permanecido íntegros (foto: Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute/Divulgação)
Durante sua última aproximação com Saturno, a sonda espacial Cassini, lançada pela Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) em 1997, tirou fotografias de objetos extremamente grandes dentro de um dos anéis exteriores do planeta.

Segundo os astrônomos da Nasa, os anéis de Saturno surgiram devido à destruição de um "embrião" de planeta nos primeiros dias de existência do Sistema Solar. Como estava muito próximo do gigante gasoso, ele foi puxado pelas forças gravitacionais e desmembrado em "migalhas". Os fragmentos mais densos foram "comidos" por Saturno e pelo seu satélite Titã. As partes restantes formaram os anéis que são visíveis hoje.

A sonda Cassini está em seu 13º mergulho pelos anéis do segundo maior planeta de nosso sistema, fotografando de perto o anel F a 8,7 mil km de distância. Ao mesmo tempo, a espaçonave vai medir a temperatura da superfície de Encélado – lua de Saturno, onde há chances de se encontrar vestígios de vida no oceano sob a camada de gelo. Além disso, a sonda espacial buscará traços de outro satélite do planeta gigante, Dione, e irá medir a força do campo magnético dentro dos anéis.

Durante um dos mergulhos no anel F, cujas fotos foram recentemente divulgadas pela Nasa, a Cassini tirou fotos de duas estruturas estranhas que estão "misturadas" ao pó da estrutura que circunda Saturno. Estes objetos, de acordo com os cientistas americanos, já haviam sido descobertos pela sonda ainda no ano passado, durante um dos primeiros voos de saída para a órbita polar. Todavia, as estruturas não foram batizadas oficialmente, mas astrônomos as chamam de F16QA e F16QB.

Conforme os cientistas, os dois objetos são fragmentos de asteroides ou outros objetos pedregosos de algumas centenas de metros de diâmetro. Esse tipo de estrutura já teria penetrado nos anéis de Saturno, no entanto, não permaneceu na região ou foi destruída devido à gravidade das luas do planeta gigante.

Se o F16QA e o F16QB conseguirem sobreviver ao encontro com a lua Prometeu, poderão mudar totalmente o aspecto do anel F, cobrindo-o com desenho complicado de "fluxos" de pó, que serão entrelaçados uns aos outros devido à interação gravitacional com esses objetos.

O próximo voo da Cassini aos anéis de Saturno está marcado para o início de março. No âmbito dessa aproximação, a sonda irá medir a concentração de hidrogênio e hélio na atmosfera de Saturno e examinar a composição química das suas camadas altas e tirar fotografias de alta qualidade "noturnas" dos anéis. A expectativa é que sejam flagradas colisões de meteoritos pequenos com estrutura dos anéis. Além disso, a sonda da Nasa irá tirar fotos mais detalhadas de Pã, o satélite "regente" de um dos anéis de Saturno, aproximando-se dele a 25 mil km de distância.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários