Antes de ter um animal exótico, é preciso conhecê-lo bem

Especialista chama a atenção para os cuidados que se deve ter com pets 'excêntricos'

por Da redação com assessorias 28/04/2017 15:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Antes de adquirir animais de estimação considerados exóticos, como a chinchila, é precisa obter informações sobre a espécie e tirar dúvidas com um profissional especializado (foto: Pixabay)
Quando se fala de animais de estimação logo vem à mente cães e gatos, porém, não é raro conhecer pessoas que preferem a excentricidade e que optem por pets diferentes como tartarugas, coelhos, chinchilas, porquinhos da índia, iguanas, cobras, salamandras e algumas aves – como a calopsita. A questão é entender os cudiados que os bichinhos "exóticos" demandam, em comparação com os "tradicionais".

Segundo a veterinária Erika Fruhvald, da Animal Place, primeiramente, é preciso adquirir o pet exótico apenas em lojas e criadores que sejam legalizados junto ao Ibama e, antes de tomar a decisão, obter todas as informações a respeito da espécie com um veterinário especializado. "Uma conversa prévia é importante para conhecer as diferentes espécies e as suas respectivas particularidades. Só, então, ter certeza se terá condições e disposição suficientes para criar e manter o animal em boas condições. Criá-los exige responsabilidade, tempo e dinheiro", esclarece a especialista.

Alguns animais exigem um pouco mais do dono, especialmente cobras, corujas e gaviões, já que necessitam ingerir, regularmente, presas inteiras como camundongos ou ratos provenientes de criadores. "Apenas por esse motivo, muitas pessoas não conseguiriam manter esses animais, pois não teriam capacidade financeiras e 'psicológicas'", comenta a veterinária. Outras são menos selvagens, como os coelhos, por exemplo, porém, as informações sobre a criação devem ser tomadas da mesma forma. "Muitos pais presenteiam os filhos com coelhos domésticos sem conhecer o perfil e o comportamento do animal, que é, muitas vezes, arisco e pode causar um impacto contrário ao esperado na relação diária com a criança", diz Erika Fruhvald.

Quando se tem todas as informações necessárias, é possível comprar ou adotar com segurança animais silvestres ou exóticos. "É essencial que este processo venha acompanhado de muita pesquisa, orientação, disposição e conhecimento por parte de quem quer ter deseja um animal, seja ele qual for. Desta forma, evita-se os maus tratos, o abandono e sofrimento do animal", afirma a especialista.

Últimas notícias

Comentários