Publicidade

Estado de Minas CULTURA

Acervo do ex-governador Israel Pinheiro é doado para o Arquivo Público Mineiro

São milhares de documentos, imagens e filmes sobre a carreira e a vida desse importante político mineiro


postado em 23/06/2017 15:50

Um acervo composto por milhares de cartas, documentos, fotos, mapas, fotos e cartões postais que integram o acervo privado do ex-governador de Minas Gerais, Israel Pinheiro, passará a integrar o Arquivo Público Mineiro (APM). O patrimônio documental que passa a ser disponibilizado para consultas e pesquisas dos cidadãos compreende os anos de 1896 a 2002.

Figura importante na história de Minas Gerais, Israel Pinheiro foi governador do estado (1966 e 1971), secretário de Benedito Valadares, primeiro presidente da Companhia Vale do Rio Doce, deputado federal, presidente da Novacap e prefeito de Brasília.

O acervo do ex-governador possui dimensão histórica e memorialística, conforme explica Thiago Veloso Vitral, superintendente do APM. "O material doado é extremamente relevante para a realização de pesquisas e para a preservação da memória de um importante período da nossa história. Além disso, o acervo privado de Israel Pinheiro é muito rico. Estamos muito contentes com a generosidade e a sensibilidade da família em ter preservado e disponibilizado o material", pontua o superintendente do Arquivo Público Mineiro.

A catalogação do acervo contou com a colaboração da nora de Israel Pinheiro, Vera Pinheiro, e de sua filha Maria Paula Pinheiro. Entre os arquivos variados, como documentos textuais, iconográficos, cartográficos e audiovisuais. São milhares de correspondências trocadas entre familiares, cartões postais e de visitas, além de documentos relacionados ao funcionamento e à administração da Cerâmica João Pinheiro.

As cerca de 3,5 mil fotografias do acervo retratam episódios da história mineira e brasileira, transcorridas ao longo do século XX, com destaque para o belíssimo conjunto fotográfico que registra a experiência desbravadora da construção de Brasília.

Todo o processo de documentação foi viabilizado por meio de um projeto empreendido pela Associação Cultual do Arquivo Público Mineiro.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade