Interação entre colírio e certos medicamentos pode até causar asma

Nesta época do ano, com o tempo mais seco, muitas pessoas usam colírio de forma indiscriminada

por Da redação com assessorias 26/06/2017 10:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Netdoctor.cdnds.net/Reprodução
Como mostra o médico, alguns tipos de colírio interagem com medicamentos, afetando diretamente a atuação deles ou causando efeitos colaterais mais sérios (foto: Netdoctor.cdnds.net/Reprodução)
Com a chegada do Inverno e das temperaturas ainda mais baixas, aumentam os casos de conjuntivite viral, especialmente devido às aglomerações de pessoas em ambientes fechados. De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP), o frio também resseca a lágrima. Isso contribui para o aumento da síndrome do olho seco e da conjuntivite alérgica em quem já tem predisposição à alergia. O problema é que muita gente acaba se automedicando e usando colírio de forma indiscriminada.

Para piorar, o colírio acaba interagindo de forma perigosa com medicamentos usados para tratar outras doenças típicas do frio, como gripe, resfriado, asma, rinite e sinusite. Segundo o médico, nesta época do ano, as  interações entre colírios e demais remédios (como antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios) chegam a dobrar e atingem 20% dos pacientes.

Um exemplo do risco da interação medicamentosa, como mostra Queiroz Neto, é o uso de descongestionante nasal com colírio betabloqueador para controlar a pressão interna do olho em portadores de glaucoma. Isso porque, esta combinação pode cortar o efeito do colírio e levar à piora dessa grave doença ocular.

O médico destaca que as mulheres devem estar atentas também ao uso de colírio antibiótico para conjuntivite bacteriana concomitantemente com a pílula anticoncepcional. Neste caso, os antibióticos acabam cortando o efeito da pílula.

Já a lágrima artificial perde seu efeito quando usada juntamente com um anti-histamínico. O especialista  afirma que para as pessoas alérgicas, cápsulas de semente de linhaça, rica em ômega-3, é uma forma de garantir a melhor lubrificação dos olhos.

Uma das interações mais graves, segundo o oftalmologista, é o uso de  medicamentos broncodilatadores, que ajudam a aumentar a entrada de ar nos pulmões, juntamente com colírio betabloqueador para glaucoma. Esta mistura pode provocar falta de ar e causar asma.

Últimas notícias

Comentários