Michel Temer diz que vai ajudar as escolas de samba do Rio de Janeiro

O presidente deu ao novo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, a missão de ajudar o Carnaval carioca

por Encontro Digital 26/07/2017 11:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fernando Grilli/Riotur/Divulgação
Depois que o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, cancelou o repasse de verbas para as escolas de samba, as agremiações, agora, vão contar com o apoio do governo federal (foto: Fernando Grilli/Riotur/Divulgação)
Ao dar posse, em Brasília, ao novo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, na terça, dia 25 de julho, o presidente Michel Temer pediu que ele ajude as escolas de samba do Rio de Janeiro. "O Carnaval faz parte da cultura e do turismo brasileiro. Ainda há pouco recebi presidentes das escolas de samba que estarão contigo hoje. Ajude-os. É preciso ajudarmos com o apoio do governo", comenta o peemedebista.

Antes da posse, dirigentes e integrantes de escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro se reuniram com Temer e o presidente sinalizou que o governo vai dar apoio para que as agremiações obtenham recursos para o Carnaval de 2018 após o corte de cerca de R$ 13 milhões feito pelo prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

O presidente da Estação Primeira de Mangueira, Francisco Carvalho, conhecido como Chiquinho da Mangueira, disse que Temer "garantiu que vai buscar um caminho para ajudar o Carnaval do Rio de Janeiro". "Viemos pedir ao presidente que ele completasse esse corte que foi feito e ele garantiu que o governo federal vai ajudar através dos ministérios da Cultura e do Turismo", afirma Chiquinho da Mangueira.

Segundo o presidente da Estação Primeira, os cortes da prefeitura prejudicam a qualidade dos desfiles. "O impacto é muito grande. As escolas fazem um espetáculo que tem o custo de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões. Não adianta dizer que o Carnaval tem que reduzir o número de componentes, de carros alegóricos. O espetáculo não pode cair a qualidade, tem que ganhar mais qualidade", comenta Chiquinho.

Logo após ser empossado, o ministro da Cultura foi questionado sobre o apoio às agremiações cariocas e disse que é preciso avaliar as possibilidades para anunciar qualquer medida. "Vamos analisar com cuidado a situação e ver de que maneira podemos ajudar. O governo brasileiro e o Ministério da Cultura reconhecem a importância do Carnaval do Rio de Janeiro e vão fazer o que for possível para que aconteça em 2018 com ainda mais força", diz Sérgio Sá Leitão.

Ele lembra que o Carnaval carioca tem grande impacto econômico e gera retorno financeiro para a sociedade e o governo.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários