Publicidade

Estado de Minas AGRICULTURA

Minas também se destaca com a produção de banana

Estado é o terceiro maior produtor da fruta no Brasil


postado em 04/07/2017 11:12

Prata, Caturra, Maçã. Presente nas mesas de todo o país, a banana sempre teve importância na alimentação brasileira. Terceiro maior produtor nacional da fruta, colhendo cerca de 800 mil toneladas por ano, Minas Gerais se destaca não só pelo volume, mas também pela qualidade e competitividade da fruta aqui produzida.

Hoje, são 45 mil hectares plantados no estado, com faturamento bruto anual de mais de R$ 840 milhões, e quase a totalidade da produção é consumida pelo mercado interno.

A bananicultura em Minas cresceu e se desenvolveu expressivamente nos últimos anos, mas, é no norte do estado que a produção se destaca. Responsável por quase metade da produção mineira, a região conta com cerca de 16 mil hectares de área colhida, sendo que 1/3 dela está na cidade de Jaíba, maior produtora mineira. Para ajudar a potencializar a banana mineira, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) desenvolve diversas pesquisas envolvendo a fruta na região.

"Uma diferença da bananicultura no norte em relação ao restante do país é a obrigatoriedade da irrigação, isto é, não há produção na região sem irrigação", explica a engenheira agrônoma Maria Geralda Vilela Rodrigues, coordenadora do Programa Estadual de Pesquisa em Fruticultura da Epamig.

O primeiro experimento com a cultura da banana no norte de Minas pela Epamig foi implantado em 1979. Desde então, são conduzidas diversas pesquisas. Os trabalhos em andamento buscam solucionar desafios, como as doenças e um cenário de escassez de água. A empresa pesquisa formas de manejar a água de irrigação com redução de uso, além de variedades com tolerância à redução de água fornecida.

"Minas Gerais tem uma posição estratégica em relação aos principais mercados, e, além disso, a maior parte do nosso território apresenta condições favoráveis de clima e solo: temperatura tropical e solos profundos. A qualidade da banana produzida em Minas Gerais é reconhecida. Essa qualidade se dá por estas condições, mas, também pelo cuidado com o cultivo e pelo nível tecnológico adotado", comenta Maria Geralda Vilela.

Cultivo

A bananicultura rende durante todo o ano, desde que bem irrigada e cuidada. Os tipos mais comuns cultivados no estado são do subgrupo prata: prata-anã, que é o carro-chefe mineiro, seus clones, como a gorutuba e outras, e a banana prata comum.

Para realizar o plantio da fruta, é preciso ter disponibilidade de água – mínimo de 100 mm todos os meses – solo profundo, bem drenado e fértil, além de clima tropical, sem extremos de temperaturas mínimas e máximas.

"Para instalar um bananal é necessário ter conhecimento da área a ser plantada e da fruta. Ele tem que ser bem cuidado o ano todo. Abandonar o bananal nos períodos de preço mais baixo é formar mal o cacho seguinte, que será colhido em época melhor, além de formar mal a planta que ainda dará o cacho seguinte a esse. O efeito cascata será sentido pelo produtor, com declínio da produção e aumento da presença de frutas com classificação ruim, causando prejuízos", esclarece a engenheira agrônoma da Epamig.

Sul do estado

No sul de Minas, segundo maior produtor no estado, a Epamig pesquisa variedades de bananas há 15 anos. Os tipos mais utilizados na região são a prata-anã (80%), nanica (15%) e maçã (5%). Segundo José Clélio de Andrade, pesquisador da Epamig em Lavras, estão sendo pesquisados 13 tipos, sendo que quatro deles se sobressaem nas pesquisas, como a prata catarina e a variedade maravilha.

Selecionada em parceria com produtores particulares, a variedade prata gorutuba é mais resistente à pragas e doenças, inclusive ao Mal do Panamá, doença que pode ser fatal à planta. A banana maçã, por exemplo, é altamente susceptível a essa doença e por isso não mais existem grandes bananais dessa variedade, sendo este inclusive o motivo de ser uma variedade mais cara.

No vídeo abaixo, confira a colheita e o transporte dos cachos de banana em uma propriedade mineira:


(com Agência Minas)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade